Recife é a única cidade da América Latina que participa de conferência sobre clima da ONU

O Recife é a única cidade da América Latina a participar da Conferência das Partes (COP-19), evento da ONU sobre Mudanças Climáticas.

A conferência, que reúne cerca de 190 países em Varsóvia, na Polônia, será a primeira vez em que a ONU colocará em diálogo nações e cidades.

Essa perspectiva de mudanças a partir das cidades ganhou força na Rio+20, no ano passado, quando prefeitos de vários países se encontraram no Rio de Janeiro.

Na COP-19, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, participa hoje de duas mesas de debate. A primeira será às 9h30 e a segunda, às 15h30, horários da Polônia.

Pela manhã, o tema da mesa é “Diálogos entre Ministros e Prefeitos”, que contará com a presença do secretário geral da ONU, Ban Ki-Moon.

O convite à capital pernambucana se deu ao menos por dois motivos:

Um deles é o fato de o Recife constar na lista de cidades mais vulneráveis do mundo às mudanças climáticas, especialmente com o efeito do avanço do mar.

A outra razão seria a inclusão do Recife no programa Urban LEDS, da ONU, voltado à redução da emissão de carbono e o desenvolvimento sustentável.

Além do prefeito, o Recife está sendo representado pela secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cida Pedrosa.

Fonte: Diário de Pernambuco

Ministério do Turismo investirá R$ 37 mi para atender turistas na Copa

Das nove cidades que receberão investimentos Recife será o 3º montante, no valor de  R$ 6,56 milhões

O Ministério do Turismo (MTur) anunciou nesta segunda-feira que investirá R$ 37 milhões para a construção de 105 Centros de Atendimento ao Turista (CATs) nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. Atualmente, o País tem 96 postos do tipo nas capitais. O objetivo da ação, que tem parceria com Estados e municípios, é melhorar o atendimento em língua estrangeira. Segundo a pasta, são esperados 600 mil turistas de fora do País para o Mundial, bem acima dos 25 mil que estiveram no Brasil para a Copa das Confederações.

Uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), mostra que o atendimento em idioma estrangeiro recebeu reclamações de metade dos turistas que visitaram o País durante a Copa das Confederações. Foram ouvidos 1.338 turistas estrangeiros em aeroportos brasileiros. Para melhorar a situação, estão previstos reformas de CATs antigos, construção de novas unidades fixas e investimentos em unidades móveis, como vans e patinetes elétricos, numa experiência inédita no País.

Segundo a pasta, os postos de atendimento têm por objetivo atender profissionais que falam até oito idiomas, informam sobre pontos turísticos da região e oferecem material impresso, como mapas. Das nove cidades que receberão investimentos, Porto Alegre terá o maior montante, com R$ 10,7 milhões. Belo Horizonte (R$ 8,53 milhões) aparece em segundo lugar no ranking de recursos para centros de atendimento ao turista, seguido de Recife (R$ 6,56 milhões), Manaus (R$ 6,44 milhões) e Curitiba (R$ 1,89 milhão).

Recife recebe congressos sobre cultivo de flores, plantas e tecidos

 

Interessados pela cultura de tecidos e plantas, professores, estudantes e pesquisadores vão se reunir a partir desta segunda-feira (21), no Mar Hotel, no Recife, para participar do XIX Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais e do VI Congresso Brasileiro de Cultura de Tecido de Plantas. O evento vai até a sexta-feira (25).

Na programação estão especialistas nacionais e internacionais, além de minicursos, palestras, mesas redondas, sessões técnicas e assembleias. Os mais de 800 congressos esperados vão discutir novas técnicas de cultivo, divulgar resultados de pesquisa e expor temas inovadores. O tema principal é inovação tecnológica.

Quem quiser se inscrever deve comparecer ao Mar Hotel durante esta semana. A taxa varia entre R$ 370 (estudantes de graduação) a R$ 700 (não-associados). O Mar Hotel fica localizado na Rua Barão de Lucena, 451, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

Fonte: G1

Programas de Estágio e Tainees com vagas abertas em Pernambuco.

Votorantim – trainees

São 14 oportunidades disponíveis para quem é formado há até dois anos ou está com a conclusão da graduação prevista para dezembro de 2013. Os cursos elegíveis são: administração, ciências contábeis, ciências econômicas/economia, ciências sociais, comércio exterior, comunicação social, direito, engenharia (todas), estatística, geologia, marketing, matemática, psicologia, química e relações internacionais. Os trainee, durante o programa, poderá desenvolver projetos nas cidades de São Paulo (SP), Curitiba (PR), Brasília (DF) e Recife (PE).

Salário: não informado
Inscrições: até 18 de outubro pelo site Produzindo Futuros

 

Petrobras Distribuidora – estágio
As oportunidades são para estudantes de níveis superior e médio (cursos técnicos), em diversas localidades do país. Os estudantes devem cursar os dois últimos anos ou os quatro últimos semestres. Para os estudantes de nível médio que já concluíram o curso, é possível realizar o estágio na companhia desde que a instituição de ensino informe, por meio de declaração, que o estágio é condição indispensável para a obtenção de certificado ou diploma.

Salário: não informados
Inscrições: até 22 de outubro pelo site BR

PERNAMBUCO
  RECIFE
ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS
DIREITO
ENGENHARIA MECÂNICA
ENGENHARIA MECATRÔNICA

 

Ernst & Young Terco – trainee
São cerca de 1000 vagas distribuídas entre os doze escritórios da empresa localizados nas cidades de Blumenau, Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Destas, 526 são só para a cidade de São Paulo e 115 para o Rio.

Há oportunidades para estudantes a partir do penúltimo ano ou recém-formados em Administração, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Direito, Economia, Engenharia, Estatística, Matemática e cursos relacionados à Tecnologia da Informação. Entre os requisitos está nível intermediário de inglês.

Inscrições: pelo site de trainees da empresa

 

A nova locomotiva do Brasil

Suape, em Pernambuco: complexo portuário e industrial atrai investimentos e gera postos de trabalho

Há pouco menos de duas décadas, o plano de carreira de boa parte dos profissionais que se formavam nas universidades do Nordeste envolvia se mudar para outra região. Entre os anos 40 e 90, as secas, a falta de políticas públicas eficientes para o desenvolvimento local e as notícias recorrentes enviadas por parentes sobre a oferta farta de empregos no Sudeste e no Sul faziam com que milhões de pessoas se deslocassem em direção às fábricas do ABC paulista, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.

O resultado foram décadas de perda de capital humano. Em linhas gerais, esse foi o panorama com o qual headhunters e estudiosos do mercado de trabalho se depararam até o começo dos anos 2000, quando a situação econômica do Nordeste começou a mudar, graças
a programas sociais e à ascensão da nova classe média brasileira.

“Nada menos do que 60 milhões de pessoas tornaram-se consumidores em potencial de bens e serviços”, diz Francisco Carlos Carvalho de Melo, professor do Departamento de Economia da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), em Mossoró.

“Esse poder de compra atraiu indústrias de todos os tipos para a região, gerando um ciclo de riqueza sem precedentes, inclusive em cidades que estão longe do litoral e fora da área de influência das capitais”, diz.

Na prática, a região é a que mais cresce no país. Segundo o Banco Central, de 2012 a 2013, o PIB do Nordeste cresceu 4,3%, ante a média de 2,3% no resto do Brasil. No primeiro trimestre deste ano, o Nordeste também saiu na frente. Enquanto o país avançou 1,05% na comparação com o último trimestre do ano passado, a região cresceu o dobro, 2,05%.

De acordo com o último levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, dentre os 17 estados brasileiros onde houve aumento de emprego em maio, o Piauí foi, disparado, o campeão nacional. Foram criadas 2 231 novas vagas — o equivalente a 0,83% de crescimento, enquanto a média do país foi de 0,18%.

Essa mudança de perspectiva vem impactando o mercado de trabalho e transformando o Nordeste— tradicional exportador de mão de obra — em um grande polo de atração de trabalhadores. “Muita gente continua vindo de outras regiões, atraída principalmente pela qualidade de vida, e os salários dos executivos já se aproximam dos pagos no Sudeste”, afirma Jorge Abrantes, responsável pelo escritório de Recife da Asap, uma das maiores consultorias de recrutamento e seleção de executivos do Brasil.

“A demanda por gerentes, diretores da área comercial e engenheiros, entre outros cargos, está em alta neste momento”, diz  Marcelo Peixoto, diretor regional da Asap e responsável pelas operações no Norte e no Nordeste. “Há vagas principalmente em montadoras, refinarias, estaleiros, siderúrgicas, mineradoras, empreiteiras, shopping centers, empresas de cosméticos, agências de propaganda e na crescente indústria de energia eólica”, diz Peixoto.

Confira, a seguir, onde estão as melhores oportunidades na região.

Tecnologia e economia criativa

Tecnologia da informação e economia criativa estão em alta em Recife (PE). Prova disso é que no mês passado a capital pernambucana foi a escolhida para sediar, pelo segundo ano consecutivo, o Campus Party, maior evento de inovação tecnológica, internet e entretenimento eletrônico em rede do mundo, que reuniu 2.000 campuseiros.

O centro histórico de Recife abriga o Porto Digital, um dos mais prestigiosos parques tecnológicos do mundo, apontado pela revista Business Week como um dos dez lugares onde o futuro do planeta é criado. Especializado em desenvolvimento de softwares, games, redes sociais segmentadas e ferramentas mobile o polo fatura 1 bilhão de reais anuais e emprega 7.100 pessoas.

Descrito pela consultoria McKinsey como um dos dois ambientes brasileiros de inovação com maior potencial de geração de negócios de base tecnológica, o local gera oportunidades de trabalho para cientistas da computação, programadores e desenvolvedores.

Um dos mais recentes desdobramentos das atividades do Porto Digital é a inauguração, neste mês, do Portomídia, um espaço para capacitar profissionais de seis áreas — games, multimídia, cine-vídeo e animação, música, design e fotografia — e criar oportunidades de geração de negócios.

A escolha do setor de economia criativa não foi por acaso. Segundo estimativas da ONU, as áreas criativas movimentam 1,8 trilhão de dólares anuais no mundo. “Além da nossa tradição em tecnologia, Recife tem uma história cultural muito forte em diversas áreas, como música, artes e criação. Decidimos investir no Portomídia para potencializar essa criatividade natural da região e gerar escala”, diz Francisco Saboya, diretor-presidente do Porto Digital.

E por falar em cultura, a região metropolitana de Recife deve inaugurar até 2020 o chamado Santuário dos Três Reinos — um museu a céu aberto com 5 milhões de metros quadrados e 500 esculturas de pedra que fazem referência aos reinos vegetal, animal e mineral. O local será uma área de preservação da Mata Atlântica na região.

Petróleo e energia eólica

No primeiro semestre deste ano, o setor de energia foi o segundo que mais contratou na Região Nordeste, uma tendência que pode se acentuar. No início de maio, durante a 11a Rodada de Licitações da Agência Nacional de Petróleo de áreas para exploração de petróleo e gás natural, 142 blocos de 11 bacias sedimentares foram arrematados.

Dez delas estão nas regiões Norte e Nordeste, o que significa ainda mais oportunidades para engenheiros, principalmente mecânicos e navais, geólogos e geofísicos. Além do petróleo, as energias renováveis são a mais nova fronteira de expansão do setor de energia.

No Rio Grande do Norte, já foram erguidos 13 parques de energia eólica desde 2009, 40 estão em construção e outros 30 já estão programados para ser instalados nos próximos dois anos. Em cinco anos, o estado deixou de ser importador de energia elétrica para se tornar exportador regional de energia eólica, produzida pela ação dos ventos constantes no litoral.

Essas obras geram oportunidades para engenheiros, geólogos, biólogos, arqueólogos, técnicos eletricistas e em segurança do trabalho. “É uma atividade que vai oferecer uma alternativa energética para a indústria e para as residências”, aposta o economista Jean Paul Prates, diretor do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), associação de empresas do setor energético com
sede em Natal.

Indústria naval

A Bahia foi o endereço escolhido para a instalação da nova unidade de negócios do Estaleiro Enseada do Paraguaçu. A estrutura de 1,6 milhão de metros quadrados está sendo construída no município de Maragogipe, a 42 quilômetros de Salvador, com previsão de conclusão em 2014.

No local, serão desenvolvidos projetos complexos de engenharia naval e o processamento de até 36.000 toneladas de aço por ano. Fruto de um investimento privado de 2,6 bilhões de reais, o complexo vai gerar 3.000 empregos diretos e 10.000 indiretos, estimulando o desenvolvimento de uma ampla cadeia de fornecedores.

O projeto da empresa é privilegiar a mão de obra local para promover um novo ciclo de desenvolvimento no Recôncavo Baiano.

Vagas na Zara brasileira

O grupo têxtil potiguar Guararapes, dono da rede de 178 lojas Riachuelo, se prepara para abrir uma nova fábrica de jeans no Ceará, o que aumentará de 7.000 para 8.000 o número de funcionários em Fortaleza. A nova unidade faz parte dos planos dos empresários Flávio e Nevaldo Rocha — únicos empresários brasileiros do setor na lista de bilionários da revista Forbes — de duplicar a capacidade de produção da maior empresa do ramo têxtil e de confecções da América Latina até 2017.

Para atingir esse objetivo, também serão contratadas empresas de facção do Rio Grande do Norte, de modo a interiorizar o processo industrial. Atualmente, apenas 35% das roupas vendidas pelo grupo são produzidas no Brasil. Num fórum empresarial realizado em junho em Natal, Flávio Rocha anunciou que 60 novas lojas serão abertas até a conclusão do plano de expansão, totalizando quase 250
unidades.

A ideia é reproduzir o modelo de sucesso da espanhola Zara, líder mundial do comércio varejista de roupas. “Nossa ideia é criar uma Galícia brasileira aqui no Rio Grande do Norte e, com isso, fazer com que 80% de nossa produção saia daqui”, destacou o presidente da rede Riachuelo. Os planos ambiciosos da empresa devem gerar oportunidades para gerentes de lojas, gerentes industriais e profissionais de logística.

Mineração e oportunidades

No Rio Grande do Norte, a empresa australiana Crusader assinou um termo de cooperação com o governo do estado no ano passado e está em fase de obtenção de licenças ambientais e de realização de audiências públicas para explorar uma mina de ouro no município de Currais Novos, na divisa com a Paraíba, a partir de 2015.

O investimento estimado entre a fase de construção (com previsão de criação de 2.000 empregos temporários) e exploração (outros 300 postos de trabalho) é de 400 milhões de reais. Geólogos e geofísicos terão boas oportunidades.

Motores aquecidos

Segundo a consultoria Asap, o setor que mais contratou no Nordeste no primeiro semestre de 2013 foi o automotivo. Uma das empresas que puxam essa tendência é a Fiat, que Até 2017, a indústria automotiva vai criar pelo menos 25.000 vagas em estados como Pernambuco e Bahia começou a erguer em 2011 um novo polo na cidade de Goiana, em Pernambuco, a 70 quilômetros de Recife.

Até entrar em funcionamento, no início do ano que vem, a fábrica deve contratar cerca de 4.500 colaboradores entre engenheiros, técnicos de diversas áreas e operários. A capacidade de produção da Fiat em Pernambuco será de 250.000 unidades por ano. A Bahia, outro endereço das vagas geradas pela indústria automotiva, também é destaque regional.

Camaçari vai receber, até o fim deste ano, uma fábrica da chinesa JAC Motors. O investimento de 900 milhões de reais deve criar 3.500 empregos diretos e 10.000 indiretos. Outro gigante chinês que vai se instalar na Bahia é a Foton Motors, a maior fabricante de caminhões do mundo. A fábrica ficará pronta em 2017 e vai gerar 1.000 empregos diretos e 6.000 indiretos.

Engenheiros eletricistas, mecânicos, de produção e de segurança do trabalho devem ser requisitados para preencher as posições geradas pela indústria automotiva.

Crescimento forte como aço

O Ceará foi o endereço escolhido em 2011 para a instalação da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), fruto de uma sociedade entre as sul-coreanas Posco — maior grupo siderúrgico da Coreia do Sul — e Dongkuk Steel, e a brasileira Vale. Quando entrar em funcionamento, em 2015, estima-se o que o complexo produzirá 3 milhões de toneladas de placas de aço por ano.

Durante a fase de construção, 23.000 empregos diretos e indiretos devem ser criados. Outros 14.000 serão abertos quando a CSP entrar em operação. Engenheiros e técnicos de nível médio em mecânica e metalurgia estão no topo da lista dos profissionais mais requisitados.

Fonte: Revista Você SA.

No Recife, feira de estágio oferece cerca de 800 vagas para estudantes

 

Evento promovido pela Estácio acontece das 9h às 20h desta quarta (9).
Mais de 400 empresas orientam estudantes sobre mercado de trabalho.

 Estudantes dos ensinos médio e superior que estão começando a vida profissional terão a oportunidade de encontrar várias empresas reunidas numa feira de estágios, promovida pela Faculdade Estácio. Das 9h às 20h desta quarta-feira (9), mais de 400 companhias estarão na unidade, no Recife, para orientar os alunos sobre quase 800 vagas disponíveis no mercado. Qualquer pessoa pode participar e é de graça.

Além dos estandes das empresas, haverá uma série de palestras e oficinas nos três turnos para ajudar os alunos. A coordenadora do Espaço Estágio e Emprego da faculdade, Michelly Cordeiro, diz que os debates podem ajudar a melhorar a autoconfiança dos candidatos. “Vamos ter oficinas de como elaborar currículos, como perder medo ao dar entrevista, perder medo de chegar no ambiente de trabalho. Às vezes, você passa na entrevista e, no primeiro dia, você está com aquele medo, aquela ansiedade”, disse.

Para participar, é importante levar currículo e cadastrar os dados para posteriores contatos profissionais. Cada empresa vai levar seu próprio material didático e selecionar estudantes de acordo com o perfil desejado. “Eles buscam todo tipo de profissional, seja de segundo grau ou com formação acadêmica. Surgindo vaga, a pessoa será convidada”, garantiu Cordeiro.

A Faculdade Estácio fica na Avenida Abdias de Carvalho, 1678, no bairro do Prado, Zona Oeste do Recife. Mais informações pelo telefone (81) 3226.8804. Não é necessário fazer inscrição pela internet.

Fonte: G1

Guararapes dentre os melhores

Por Fernando Nicácio

Superintendente Regional do Nordeste

Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), órgão regulador do segmento, o estado de Pernambuco conta atualmente com uma rede composta por 57 aeroportos; sendo 42 privados e 15 públicos. Dois deles, o de Petrolina/Senador Nilo Coelho, no Sertão, e o Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre – são administrados pela Infraero, recebendo regularmente investimentos da União ou do orçamento próprio da estatal. Em 2012 esses dois aeroportos atenderam um total de 6.891.998 passageiros, somados embarques e desembarques, sendo 212.397 internacionais, contidos nessa soma.   Os outros 55 aeroportos são operados pelo Estado, municípios e empresas privadas.

A infraestrutura do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre – é reconhecida como das mais eficientes, como registrado pela revista de bordo da empresa aérea TAM, edição de novembro 2009. Em abril de 2010 o Guararapes volta à cena, desta vez escolhido como o melhor pelos leitores da revista Avião Revue, publicação especializada, editada em São Paulo.

Ufanismo à parte, o Guararapes volta à cena, desta vez através do site inglês, skytraxresearch.com entidade independente, que anualmente promove o prêmio, World Airport Awards, cujos vencedores são eleitos em uma pesquisa de nove meses de duração, e que na edição 2013, ouviu mais de 12 milhões de usuários de aeroportos de 108 países diferentes.  Nela o Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre é citado em 7º lugar, na lista dos dez primeiros da América do Sul, sendo o único aeroporto da região Nordeste a constar na relação. Essa eleição foi feita com o voto de usuários que avaliaram o conjunto de facilidades, funcionalidade e segurança que integram os procedimentos aeroportuários.

O resultado da pesquisa junto aos clientes deixa espaço para algumas reflexões. Dentre os 10 mais destacados do mundo, cinco estão localizados na Ásia; três na Europa e apenas um, na América do Norte, mas precisamente em Vancouver, Canadá. O Brasil pontua com quatro aeroportos na relação de melhores da América do sul, sendo o Guararapes o único do Nordeste.

Ser reconhecido pelos clientes é o maior prêmio que um administrador público pode almejar, principalmente conhecendo os desafios constantes para agradar um público cada vez mais exigente e ciente de seus direitos. Conquistar essa confiança é gratificante, uma recompensa para todos os funcionários que trabalham diuturnamente para fazer do Recife um exemplo de atendimento e de bons serviços. Isso só é possível quando se pode contar com colaboradores incondicionalmente comprometidos. Para a Infraero é uma satisfação ainda maior, já que além de desenvolver a economia e promover a integração, saber que os clientes aprovam o trabalho que está sendo realizado é motivo de comemoração. Pernambuco cresce e tem reconhecidamente um aeroporto à altura da terra que tanto contribui para o progresso do Brasil.

DIARIO DE PE