Ministro vistoria obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco

A construção das primeiras estações elevatórias nos dois eixos também foi inspecionada

Jati-CE, 07 e 08/08/2014 – Em visita técnica, o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, vistorou vários trechos das obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco, nos Estados da Paraíba, Pernambuco e Ceará.

“A obra hoje está sendo trabalhada de forma acelerada”, disse Teixeira. De acordo com dados de junho do Ministério da Integração Nacional, 61% da obra estão concluídos.

A visita foi acompanhada pelo secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz, o secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, Irani Ramos, e o secretário de Infraestrutura Hídrica da pasta, Robson Botelho.

A comitiva também vistoriou a construção das primeiras estações elevatórias nos dois eixos do projeto (Norte e Leste). Essas estações vão bombear as águas que abastecerão os reservatórios ao longo dos 477 quilômetros de canais da obra. Foram também inspecionadas a Barragem Jati, no Ceará, e o túnel Cuncas I, de 15 quilômetros, em São José de Piranhas, na Paraíba.

Fotos: Adalberto Marques/Ascom MI

 

 

Aracaju sedia Oficina de Capacitação de Inclusão Produtiva

foto 5

Representantes da Vigilância Sanitária de nove capitais do Nordeste estão em Aracaju para acompanhar a “Oficina de Capacitação de Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária”, que acontece entre os dias 5 e 7 de agosto. A abertura do evento promovido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aconteceu na manhã desta terça-feira, no auditório do Aquários Praia Hotel. A cerimônia contou com a participação do secretário da Saúde de Aracaju, Alvimar Rodrigues de Moura, e também de autoridades como a superintendente de Serviços de Saúde e Gestão do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária da Anvisa, Doriane Ferraz, o Prefeito Município de Três Rios (RJ) e vice presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) Vinicius Farah, e, o superintendente do Sebrae Sergipe, Lauro Vasconcelos.

Durante a cerimônia de abertura da oficina, Alvimar afirmou se tratar de uma honra para o Município de Aracaju sediar um evento responsável por fomentar ações voltadas para preparar órgãos públicos para atuarem na inclusão produtiva, contribuindo para retirar os pequenos empresários da informalidade, legalizado a situação através de incentivos do Programa do Microempreendedor Individual (MEI).

“A chegada do MEI em Aracaju vem como um grande benefício, em especial para a segurança alimentar da população. A partir do momento que os pequenos empresários saem da informalidade, podemos passar todas as orientações necessárias, oportunizando treinamento diante da comercialização dos produtos para garantir a correta manipulação de alimentos e prestação de serviços com mais qualidade”, disse Alvimar.

O coordenador da Vigilância Sanitária de Aracaju, Ávio Britto, enfatizou que a capital sergipana foi escolhida pela Anvisa não somente para sediar o evento, como também para ser o primeiro local de implantação do projeto piloto do MEI. “Sentimo-nos privilegiados pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Vigilância Sanitária Municipal em parceria com os diversos setores da Prefeitura de Aracaju. Com o MEI, vamos disponibilizar toda sua estrutura da Vigilância Sanitária também a serviço dos profissionais que hoje atuam sem regulamentação, orientando-os sobre procedimentos ou concedendo licenças e alvarás”, explicou.

A diretora presidente da Fundat, Gláucia Guerra acompanhou a oficina e reforçou que o Município já está mobilizado para a implantação de uma estrutura de assistência ao MEI. “A Fundat também faz parte do processo de implantação do Programa do Microempreendedor Individual, pois possuímos uma diretoria técnica de empreendedorismo, além de toda política de geração de emprego e renda. Em breve será criado o centro de apoio ao trabalhador e empreendedor, serviço que agrega a agência do trabalhador (voltada para geração de emprego) e a casa do empreendedor que trabalhará ligada a todo os serviços municipais que são pré-requisitos para formalização de um MEI”, disse Glaucia, reforçando ainda que o projeto que regulamenta o MEI capacitará os autônomos individuais, com renda anual de até 60 mil reaise um funcionário registrado.

Durante a abertura da oficina, também houve o lançamento da Cartilha da Anvisa sobre a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 49/2013, que normatiza o trabalho de Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária. O livreto traz texto comentado sobre as dúvidas mais comuns referente à formalização dos empreendedores.

por Secom – Aracaju

Veja mais fotos da oficina:


Integração Nacional planeja integrar a Rota do Cordeiro com o Programa Bioma Caatinga

A união dos programas vai somar conhecimentos e fortalecer ainda mais a produção regional

Brasília-DF, 10/06/2014 – O Ministério da Integração Nacional, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae) e o Banco do Brasil, iniciam ações de aproximação entre a Rota do Cordeiro e o Programa Bioma Caatinga. A iniciativa busca o fortalecimento da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura no sertão do São Francisco, território que possui a metade do rebanho de caprinos e ovinos da Bahia. A união dos programas vai somar conhecimentos e fortalecer ainda mais a produção regional, ampliando o acesso à assistência técnica, crédito e atração de investimentos públicos e privados.

O Programa Bioma Caatinga é o resultado de uma ação conjunta de vários agentes institucionais (Banco do Brasil, SEBRAE/BA, Casa Civil, SEAGRI, FAEB, SENAR-BA, FETAG, UNIVASF, UNEB, EBDA, ADAB, CAR, CEF, MDA, EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, CHESF, CONAB, CODEVASF e ADS-CUT) e tem por objetivo, por meio de análise detalhada da cadeia produtiva da caprinovinocultura, investir no Desenvolvimento Regional Sustentável.

“A proposta é estruturar os Arranjos Produtivos Locais (APLs) associados à ovinocaprinocultura, envolvendo os esforços de capacitação e estruturação produtiva já existentes, com o objetivo de gerar emprego e renda para a população local. Em virtude da última seca, foi fundamental desenvolver alternativas sustentáveis para alimentar os animais, sobretudo mediante a produção e conservação de forragens,  e assim, evitar o uso da cobertura vegetal da caatinga como fonte de alimentos”, explica o gestor de projetos da Secretaria de Desenvolvimento Regional do ministério, Vitarque Coelho.

Além da inclusão produtiva, o projeto também é voltado para a sustentabilidade da atividade, articulando subsistemas de produção, processamento e comercialização, por meio da criação de sistemas agroindustriais integrados. Segundo Vitarque, uma primeira iniciativa pode ser a reestruturação da Fazenda Icó, que já conta com infraestrutura de acesso à água.

“A unidade pode ser convertida em um núcleo regional de produção de alimentos, além de um espaço para o aprendizado das tecnologias de manejo animal e produção de forragens para os produtores da região. Também é viável a instalação de uma Central de Terminação de ovinos e caprinos neste espaço, para facilitar a comercialização coletiva e o abate certificado. O apoio foi solicitado para a concepção e implementação deste projeto”, explica.

Rota do Cordeiro

Parte do programa Rotas da Integração Nacional, a Rota do Cordeiro já possui ações em andamento no Estado da Bahia, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a Seagri-BA e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional da Bahia (Car-BA), com ações de apoio à ovinocaprinocultura de leite e corte nos territórios da Bacia do Jacuípe, Irecê e Sertão do São Francisco.

MINISTERIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

Entreposto da Zona Franca de Manaus em Pernambuco inicia operação por Suape

Diario de Pernambuco – Diários Associados

O Porto de Suape realizou sua primeira operação para o Entreposto da Zona Franca de Manaus (EZFM) em Pernambuco, que começou a funcionar na semana passada no município de Ipojuca. A carga de contêiner foi recebida pela empresa responsável pelo entreposto, a Bertolini Armazéns Gerais, instalada a dez quilômetros do Complexo de Suape. A mercadoria será distribuída em toda a Região Nordeste.

Com o EZFM no Estado, o porto deve movimentar 250 contêineres a mais por mês. A média atual é de 21,5 mil contêineres a cada 30 dias. Em 2013, o Porto de Suape movimentou 395.636 TEUs (unidade de medida de contêiner de 20 pés). O EZFM em Pernambuco é o primeiro no Nordeste e o terceiro em operação no Brasil, juntando-se ao de Uberlândia, em Minas Gerais, e ao de Resende, no Rio de Janeiro.

O entreposto pernambucano tem autorização para funcionar devido a um protocolo celebrado entre o governo local e o do Amazonas que isenta por 180 dias a cobrança do ICMS sobre os produtos fabricados na Zona França de Manaus (ZFM) e enviados para Ipojuca. Caso a venda ao atacado ou varejo não aconteça no prazo estipulado, o imposto será recolhido em favor do Amazonas. Na ZFM são fabricados televisores, tablets, notebooks, celulares, aparelhos de ar-condicionado, videogames, motocicletas, concentrados para refrigerantes, entre outros.

O transporte de cargas da Zona Franca de Manaus para Suape e o estoque no EZFM em Ipojuca, sem cobrança imediata de ICMS, permitirão que a oferta de produtos aos consumidores nordestinos ocorra de forma mais rápida.  Estimativas da Secretaria da Fazenda do Amazonas apontam redução de tempo de duas semanas para dois dias.

As mercadorias poderão ser estocadas no entreposto de Ipojuca, cuja área de 55 mil metros quadrados contempla 26 mil metros quadrados só de armazém, com capacidade máxima de 37 mil posições de pallets, além de 92 docas para recepção e expedição de cargas. “Já investimentos R$ 1,8 milhão para iniciar a operação do entreposto, que hoje conta com 13 colaboradores”, disse o diretor executivo da Bertolini Armazéns Gerais, Osvaldo Moz.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco e presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Márcio Stefanni Monteiro, o EZFM no Estado é estratégico porque Suape fica a um raio de 800 quilômetros de sete capitais nordestinas, que compreendem 90% do Produto Interno Bruto do Nordeste (PIB). “Num raio de 300 quilômetros, Suape atinge quatro capitais (Recife, João Pessoa, Maceió e Natal), o que significa um mercado consumidor de 12 milhões de pessoas que somam mais de 35% do PIB do Nordeste”, complementou.

Shopping Tacaruna ganha 47 novas lojas a partir desta quarta-feira e vai gerar 723 novos empregos

blog   EM NOTÍCIAS

Fachada

Às vésperas de completar 17 anos de sua inauguração, o shopping Tacaruna abre, nesta quarta-feira, com 47 novas lojas, depois de 16 meses em obras de expansão. Com a sua segunda expansão, a primeira expansão ocorreu em 2014, o centro comercial vai gerar 723 empregos diretos e 2.169 indiretos. Atualmente, são 4,5 mil funcionários, entre condôminos e lojistas.

Entre as lojas âncoras, estão as Casas Bahia, Le Biscuit, Jurandir e Livraria Leitura. A Casas Bahia deve começar a operar em maio ou junho. A nova livraria, em agosto. As lojas já foram entregues, mas ocorreu atraso na implantação, por parte dos novos locatários. “60% das novas lojas já começam a funcionar nesta quarta”, comentou Marcelo Tavares de Melo.

“Mesmo com um certo pessimismo na economia, mesmo com uma oferta menor de lojistas, diante do grande número de novos shoppings pelo país, mesmo com a queda de previsões da economia, nós conseguimos comercializar 95% das lojas”. Todos também estão de olho nas festas do dia das mães.

Paqueta (4)

Além destas marcas, o empreendimento está reforçando mix com as operações I-Byte, Farmácias Independente, Mundo do Cabeleireiro, Bibi, Mobi, Dinni, Chocolates Brasil Cacau, Havaianas, Fri-Sabor, Di Santinni, Quem Disse Berenice?, Dona Brigadeiro, TIM, Nokia, Ótica Diniz, Gato e Sapato, Uatt? ,  CVC, Jungle Kids, Paquetá Esportes, Alphabeto, Rommanel, O Boticário, Cão Q-Ri, Caixa Econômica Federal, Morana, Yes Cosmetics, MV Conect, Fast Shop, Tam Viagens, Litoraneus, Calvin Klein, My Store, Sushiloko, Labor Cambio. Dois restaurantes, o Caponata e o Mercado 153, também estão na área da 2ª expansão, aumentando as opções dos clientes no segmento alimentação.

O empreendedor Marcelo Tavares de Melo revelou que o investimento para ampliar o centro de compras foi de R$ 100 milhões. A expectativa de crescimento de vendas por conta da nova etapa do shopping é de 25% e  o fluxo de pessoas em torno de 20%.

Localizado na divisa de Recife e Olinda, o centro de compras tem um fluxo médio diário de 45 mil pessoas.

Além dos investimentos da expansão também foram investidos cerca de R$ 22 milhões na revitalização do empreendimento, que será concluída no 2ª semestre deste ano.

Mais empregos e impostos

A ampliação proporcionou a criação de 723 empregos diretos e 2.169 indiretos.

E renderá aos cofres municipal R$ 1,1 milhão, R$ 4,5 milhões ao estadual e R$ 10,4 milhões ao federal. Com a maturação dos investimentos, serão arrecadados mais de R$ 120 mihões em impostos por ano. No ano de 2013, a título de comparação, o empreendimento arrecadou R$ 85 milhões somando todos os impostos gerados.

Mais vagas de estacionamento

Com o novo edifício-garagem, o número de vagas passa de 1.780 vagas no estacionamento para 2.606 vagas. Com 84% das vagas cobertas, o novo estacionamento conta com sinalização eletrônica de vagas disponíveis permitindo aos clientes localizar, rapidamente, aquelas que estão livres através de sinalizadores luminosos. A nova tecnologia proporciona uma redução significativa do tráfego e uma maior eficácia na organização do espaço. A fácil visualização da sinalização das vagas livres torna o tempo de espera mais curto, oferecendo maior comodidade aos motoristas.

O novo edifício-garagem foi construído em sistema pré-moldado e a fachada tem um revestimento com painéis térmicos que também amenizam a temperatura no interior do novo estacionamento. Atualmente, por dia, transitam mais de 12 mil veículos no empreendimento.Novo acesso

 

A partir da remodelação, a fachada principal do shopping agora está voltada para a Av. Agamenon Magalhães.

O Tacaruna inaugura sua 2ª expansão nesta quarta-feira (23), às 8h30. O shopping abre normalmente à 9h, mas neste dia da inauguração, a nova etapa só abrirá às 12h para o público.

O Tacaruna teve sua primeira expansão em 2004 e uma revitalização em 2008. Ao ser inaugurado, em 29 de abril de 1997, constituiu-se no primeiro empreendimento do gênero das zonas Norte e Oeste do Grande Recife e gerou cerca de 3 mil empregos diretos e indiretos.
Com a conclusão da segunda expansão do Tacaruna passa de 257 para 317 operações. Com a nova ampliação, o Tacaruna passa de 100.093 m2 de área construída para 137.369,47 m2  e a ABL (Área Bruta Locável), que era de 40.861 m2, chega a 48.969 m2, um acréscimo de 8.108 m2.

Novo

 

 

 

Vale já investiu US$ 873 mi na siderúrgica cearense [VÍDEO]

O balanço da Vale aponta que a companhia teve lucro básico, em 2013, de R$ 26,7 bilhões – dado que supera em 30% o montante registrado em 2012. Além disso, destaca o documento, houve recorde de volume de vendas de minério de ferro e pelotas, cobre, ouro e carvão, além do maior volume de vendas de níquel desde 2008. Também houve recorde na produção de cobre, ouro e carvão.

Comando

Na última semana, a CSP anunciou seu novo CEO, o engenheiro metalurgista Sérgio Leite. Conforme a empresa, Leite trabalha na Vale desde 1994 e ocupou a presidência do Conselho de Administração da CSP, além de responder interinamente pela usina após a saída do CEO anterior, Marcos Chiorboli.

Leite já participou da implantação de duas usinas pelotizadoras no Sultanato de Omã, na Península Arábica, e do projeto Rio Colorado, na Argentina, que previa a exploração de uma mina de potássio. Questionada sobre o motivo da saída de Chiorboli, a CSP limitou-se a responder que “o acordo de acionistas prevê, a cada 3 anos, a validação ou não do CEO da Companhia Siderúrgica do Pecém”.

O empreendimento, que terá capacidade de produção de três milhões de toneladas de placas de aço na sua primeira fase, deverá entrar em operação no próximo ano e, em janeiro, contava com cerca de cinco mil trabalhadores no canteiro de obras. Até o fim de 2013, a CSP investiu R$ 4 bilhões na sua implantação, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp).

Para este ano, são esperados US$ 2 bilhões, o que representa cerca de R$ 4,7 bilhões. Já até 2015, quando deve começar a operação, a companhia deverá contabilizar US$ 5,1 bilhões.

Os principais serviços realizados, no ano passado, para a implantação da usina estiveram ligados à construção civil das principais instalações da siderúrgica, com a conclusão das obras das instalações auxiliares e preparação do terreno.

Fornecedora

A CSP está localizada na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Pecém, onde também será instalada a usina Vale Pecém, que fornecerá matéria-prima à usina. A Vale Pecém está orçada em US$ 98 milhões. Ela fará o beneficiamento do minério (principalmente na etapa conhecida como “blendagem”), podendo fornecer cinco milhões de toneladas anuais do produto.

Além dos benefícios garantidos pela sua inclusão em uma Zona de Processamento de Exportação, a Vale Pecém também contará com adiamento de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Fonte: Diário do Nordeste (CE)

Petrobras Biocombustível lança campanha de coleta de óleo de cozinha em Fortaleza

oleo-cozinha-biocombA Petrobras Biocombustível está promovendo, em Fortaleza, a campanha “Óleo usado e doado, Brasil Preservado”. Em parceria com a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Fortaleza e Região Metropolitana (Coopmares) e com revendas da Liquigás, a subsidiária pretende incentivar os consumidores a juntar o óleo de cozinha e fazer a doação para a cooperativa por meio do entregador de botijão de gás. Além de possibilitar um destino mais nobre ao resíduo, a ação vai permitir o incremento da renda dos catadores. A expectativa é que a inciativa atinja 140 mil residências por mês, só na capital.

Com a campanha, ao receber o gás em casa, o morador terá acesso a folhetos explicativos sobre as vantagens ambientais e sociais do reaproveitamento do óleo de fritura. O material orienta ainda que os interessados em participar poderão armazenar o resíduo líquido em garrafa de plástico e entregar a um colaborador das revendas autorizadas da Liquigás em Fortaleza. Como estímulo ao envolvimento na campanha, quem aderir a ação social concorre, mensalmente, a uma recarga de gás de cozinha.

O propósito, segundo o gerente setorial de Produção Agrícola Semiárido Norte da Petrobras Biocombustível, Paulo Roberto Dias, é ampliar a compra desta matéria-prima, que já é utilizada para produção de biodiesel e tem preços competitivos. “Trata-se de um projeto que alia conscientização, reaproveitamento de resíduos, redução de impactos ambientais e inclusão social com geração de renda”.

Nesta primeira etapa, a campanha “Brasil Preservado” conta com a participação das revendas localizadas no bairro do Montese, Conjunto Palmeiras, Vila Manoel Sátiro, Barra do Ceará, Bonsucesso, Luciano Cavalcante, Quintino Cunha e Jardim das Oliveiras.

Do resíduo à energia renovável – Todo óleo recolhido pela cooperativa passa pela estação de tratamento que retira os resíduos deixados pela fritura. Depois, é removida toda a água misturada ao produto. Esse óleo, agora beneficiado, é que pode ser adquirido para a produção de biodiesel. Assim, a Petrobras Biocombustível adquire da cooperativa matéria-prima para sua atividade produtiva na Usina de Biodiesel de Quixadá e contribui para gerar trabalho e renda na área urbana.

A Petrobras Biocombustível mantém parceria com cooperativas, associações e entidades de catadores no Ceará e na Bahia, estados onde estão localizadas suas usinas de biodiesel. Por meio desse trabalho, além de obter matéria-prima para biodiesel a preços competitivos, a empresa contribui com a preservação do meio ambiente, reduzindo os impactos desse óleo na contaminação do lençol freático e no entupimento das tubulações de esgoto, por exemplo.