Não existe inovação sem investir nas pessoas

Por Júlio Ribeiro*

iStock

Empresas crescem e produzem bons resultados por diversas razões: novos produtos, tecnologias, formatos inteligentes de administração, modelos de negócios inovadores. Um fator que raramente é associado ao bom desempenho de uma companhia é a gestão de pessoas. E, no entanto, me parece que esse é o principal caminho para uma empresa distinguir-se no campo de suas atividades, a forma como as pessoas que trabalham nela sentem-se ao exercer seu ofício.

O bom relacionamento entre os funcionários e a empresa e, por tabela, da empresa com seus clientes, é fundamental para que ela tenha sucesso no mercado, para que seja percebida como promissora, de futuro. Essa base de relações de afeto e confiança garante uma dedicação que vai além do burocrático, do formal.

Durante minha gestão na Talent, recomendei e analisei centenas de pesquisas de empresas que procuravam um caminho para sair da crise ou uma oportunidade de crescimento. Sem surpresa, o ambiente de trabalho sempre apareceu como um fator importante para o desempenho excepcional, o salto necessário, a entrega que faria a diferença.

Por outro lado, conheci muitos cases de fracasso de gestão baseados no que os empresários tinham dificuldade de aceitar, o problema de relacionamento entre funcionários e a empresa ou suas lideranças. Se os colaboradores não se sentirem parte, não se orgulharem ou respeitarem o lugar onde, durante anos, passam o horário nobre de sua vida, será muito difícil criar engajamento e dar um passo ousado em direção ao futuro. Só dá esse passo a mais quem acredita no caminho escolhido pela liderança.

Uma empresa sólida só será possível num ambiente de absoluta confiança. Com esse tipo de lastro, a inovação é apenas uma questão de tempo.

*Julio Ribeiro é empresário, sócio da Julio Ribeiro Planejamento de Empresas (JRP). Durante 34 anos, foi presidente da Talent, uma das principais agências de publicidade do Brasil.

Fonte: Forbes Brasil

Inscrições para o novo concurso da Petrobras começaram nesta segunda

por: Tati Nascimento /

Funcionário da Petrobras. Crédito: Agência Petrobras de NotíciasPara quem está em busca de um concurso para chamar de seu, começam nesta segunda-feira (24) as inscrições para o novo concurso da Petrobras. O edital foi lançado na semana passada.

São 1.232 vagas de níveis médio e superior. Desse total, cem são para contratação imediata. Quem ficar nas outras 1.132 fará parte do cadastro de reserva. Os salários variam de R$ 3.400,47 a R$ 8.081,98. Das cem vagas iniciais, oito são para Pernambuco.

Vamos às vagas para o estado:

4 vagas para o cargo de técnico de operação júnior (nível médio),

2 vagas para técnico de inspeção de equipamentos e instalações júnior (nível médio também)

2 vagas para médico do trabalho júnior (superior).

De acordo com o edital, também existem 96 vagas para Pernambuco para cadastro reserva nessas três funções. Mas não há vagas apenas para esses três cargos. Há postos de trabalho para outros nove, sendo sete de nível médio e dois de nível superior.

Os sete cargos de nível médio são técnico de exploração de petróleo júnior (geodésia), técnico de logística de transporte júnior (controle), técnico de manutenção júnior (mecânica), técnico de projetos, construção e montagem júnior (edificações), técnico de projetos, construção e montagem júnior (mecânica), técnico de segurança júnior e técnico de suprimento de bens e serviços júnior (administração).

Já para nível superior, os outros dois postos são de engenheiro de meio ambiente júnior e engenheiro de produção júnior.

Quem for contratado para um cargo de nível médio vai receber R$ 3.400,47. Para engenheiros a remuneração é de R$ 8.081,98. Os médicos terão rendimento de R$ 7.501,06.

Agora falando sobre as inscrições. Elas podem ser feitas até 17 de março no site da Fundação Cesgranrio, que é a banca organizadora do concurso. A taxa de participação será de R$ 40 para os cargos de nível médio e de R$ 58 para os de nível superior.

Além das vagas para Pernambuco, as chances são para lotação nos estados de Minas Gerais, Paraná, Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

A seleção terá provas objetivas, avaliação psicológica, exames médicos e levantamento sociofuncional. As provas objetivas para todos os cargos estão previstas para 18 de maio.

Pernambuco tem pior resultado em dez anos

Queda na criação de postos de trabalho foi de 46,29%, enquanto redução nacional foi de 14,8%

Diario de Pernambuco – Diários Associados

Pernambuco fechou o ano de 2013 com queda de 46,29% na quantidade de postos de trabalho. Foi o pior resultado dos últimos dez anos e o índice ficou bem abaixo do nacional, quando a queda foi de 14,8%, também a pior desde 2003. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregos), divulgados nesta terça-feira pelo Ministério do Trabalho.

No estado, foram criadas 28.062 vagas, enquanto o números de postos gerados em 2012 foi de 52.256. Em todo o país, houve a criação de 1,1 milhão de empregos com carteira assinada no ano, abaixo do resultado de 2012, quando foi registrada a criação de 1,3 milhão de vagas. O governo esperava para o ano passado a criação de 1,4 milhão de novos postos de trabalho. Ao todo, foram 22,1 milhões de admissões e 21 milhões de desligamentos.

Assim como em Pernambuco, o setor de serviços foi o melhor nacionalmente, com a geração de 547 mil novos postos, um crescimento de 3,37%. No mês de dezembro de 2013, o saldo foi negativo, em 449,5 mil empregos.

Concursos públicos abrem 33 mil vagas

Correio Braziliense

Publicação: 20/01/2014 08:43 Atualização:

Aos brasileiros que procuram estabilidade financeira e sonham com o funcionalismo, mais de 33 mil vagas estão disponíveis no serviço público. Ao todo, há 123 concursos estaduais e nacionais com inscrições abertas: em nove deles, o prazo se encerra nesta ssegunda-feira (20); e em 32 oportunidades, a chance de confirmar presença na disputa termina no próximo domingo.

Os salários chegam a até R$ 22,8 mil. Destaque para as 343 vagas oferecidas pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), com remuneração de R$ 2,3 mil (ensino médio) e R$ 8,4 mil (superior). Na Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), os salários são de R$ 2,9 mil e R$ 7 mil.

O professor de direito administrativo Emerson Caetano, 35 anos, dá aulas há mais de 15 anos em escolas preparatórias para concursos. A primeira dica, diz ele, é selecionar o edital mais atrativo, de acordo com o próprio perfil. “Já que são muitas vagas e em concursos diferentes, é importante fazer uma pré-seleção dos editais, levando em conta a formação”, recomenda. O segundo passo, acrescenta Caetano, é analisar as matérias cobradas pelas bancas. “É bom dar um apanhado geral nos editais e ver quais disciplinas precisarão de uma dedicação maior durante os estudos.”

Ficar de olho na data do concurso também é importante, emenda o professor. “Ele pode estabelecer uma estratégia para começar a estudar as matérias mais difíceis antes mesmo da publicação do edital. Se ele nunca leu sobre legislação ambiental, por exemplo, pode começar a ler livros sobre o assunto”, ilustra. A última orientação dada por Caetano é em relação às técnicas de estudo. “O candidato deve se preparar de acordo com o perfil de cada banca, analisando as provas anteriores”, finaliza. (GA)

Fique ligado

Confira as principais oportunidades que estão abertas para o serviço público

Órgãos  Salário (em R$)  Vagas  Inscrições

Metrô-DF  2,9 mil a 7 mil  232  Até 26 de fevereiro
Fundação Universidade de Brasília    1.942 a 3.230    41    Até amanhã
Secretaria de Estado de Administração DF    12 mil    60    Até10 de fevereiro
Empresa de Pesquisa Energética    2.345 a 8.445    343    21 de janeiro a 11 de fevereiro
Universidade Federal do Acre    3.230    3    Até 20 de fevereiro
Universidade Federal de São Carlos    1.942    22    Até 14 de fevereiro
Universidade Federal de São Paulo    1.821 a2.989    102    Até 19 de fevereiro
Hospital Universitário do Mato Grosso    1.630 a 7.774    349    Até 18 de fevereiro
Hospital Universitário de Sergipe    1.841 a 7.774    1.214    Até 13 de fevereiro
Ministério do Trabalho e Emprego    2.573 a 3.981    450    Até 3 de fevereiro
Universidade Federal do Espírito Santo    1.920 a 3.511    47    Até 17 de fevereiro
Universidade Federal de Mato Grosso    3.341 a8.422    27    Até 27 de janeiro
Hospital Universitário Getúlio Vargas    2.717 e 7.774    282    Até 17 de fevereiro
Hospital Universitário de Dourados    1.841 a 9.044    628    Até 10 de fevereiro
Universidade Federal do Pampa    1.912 a3.138    35    Até amanhã
Ministério do Desenvolvimento Agrário    6.130 a 8.300    40    Até 3 de fevereiro
Tribunal de Justiça de Mato Grosso    19.594    12    Até 26 de janeiro
Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região    22.854    6    Até 24 de janeiro

Fontes: Bancas organizadoras

Seleção da nova fábrica da Shineray em Suape continua

Empresa disponibilizou um novo e-mail para os interessados na contratação

Rochelli Dantas – Diario de Pernambuco

Devido à grande demanda de candidatos que desejam participar da seleção da Shineray para trabalhar na fábrica de motocicletas da marca, a empresa disponibilizou um novo endereço eletrônico para receber os currículos. Além do email já divulgado (recursoshumanos@shineraydobrasil.com.br), os interessados também podem enviar os currículos para selecao@shineraydobrasil.com.br.A fábrica está em construção no Complexo Industrial Portuário de Suape. O recrutamento deve ter início no próximo mês. No início, a montadora vai contratar cerca de 50 profissionais. Até o final do ano, serão 120 novos trabalhadores. A fábrica deve entrar em operação em março, mas os funcionários devem ser contratados com antecedência para que passem por um treinamento.A principal exigência é ter moradia localizada nos municípios próximos ao complexo. A preferência é para profissionais que possuam curso técnico e que tenham algum tipo de vivência em indústria, mas este não é um pré-requisito. Os currículos podem ser entregues tambném de maneira presencial, no Centro de Distribuição da Shineray, localizado no Cabo de Santo Agostinho (Avenida Refibrás, 238, Centro).

Os selecionados participarão de um treinamento com duração média de 30 dias, entre aulas teóricas e práticas. Os “professores” serão nove mecânicos que estão em treinamento desde novembro em uma minilinha de produção montada no centro de distribuição da marca. “São todos mecânicos com mais de dez anos de experiência e que atuarão como multiplicadores”, afirma o engenheiro mecânico da Shineray, Roger Branco.

Um dos multiplicadores é o mecânico Eliezer José Alves de Carvalho, 42. Na profissão há 22 anos, ele diz que nunca pensou em trabalhar como “professor”. “Eu sou contratado da Shineray há cinco anos como mecânico e agora recebi o novo desafio. É uma nova profissão.” Quem também participa do treinamento é o mecânico Reginaldo Ferreira da Silva, 46. “Eu via as motos e tinha curiosidade de saber como era o processo de montagem. Hoje eu participo dele”, comemora.

De acordo com o engenheiro Roger Branco, a previsão é de que, quando a unidade de Suape estiver em sua capacidade plena, a produção seja de uma moto a cada cinco minutos. “A montagem dos modelos acontecerá em uma esteira de 100 metros. No treinamento, utilizamos uma esteira de 33 metros que simula todo o processo e que, posteriormente, será acoplada a fábrica de Suape”, conta Branco.

Dilma Rousseff projeta Brasil melhor em 2014

A presidente da República, Dilma Rousseff, usou seu pronunciamento de fim de ano, que foi ao ar na noite deste domingo em cadeia nacional de rádio e TV, para defender a política econômica de seu governo e tentar tranquilizar trabalhadores e empresários de que o governo se esforçará para combater a inflação e manter o equilíbrio das contas públicas. No vídeo, Dilma projetou um ano de 2014 melhor e exaltou a baixa taxa de desemprego ante as taxas de crescimento registradas em 2013, criticando setores que utilizam a desconfiança para fazer “guerra psicológica”.

“Temos de agir sempre de forma produtiva e positiva tentando buscar soluções e não ampliar os problemas. Se alguns setores, seja por que motivo for, instilarem desconfiança, especialmente desconfiança injustificada, isso é muito ruim. A guerra psicológica pode inibir investimentos e retardar iniciativas”, disse a presidente, em pronunciamento gravado na última segunda-feira.

No encerramento de um ano em que o Produto Interno Bruto (PIB) do País teve a pior queda desde 2009, no terceiro trimestre, Dilma afirmou que não há um sistema econômico perfeito e defendeu correções e retoques feitos pelo governo. Para ela, as políticas econômicas precisam aliar os interesses dos setores produtivos e das classes trabalhadoras.

“Assim como não existe um sistema econômico perfeito, dificilmente vai existir em qualquer época um país com economia perfeita. A economia é um conjunto de vasos comunicantes em busca de permanente equilíbrio. Em toda economia sempre haverá algo por fazer, algo a retocar, algo a corrigir. Para conciliar o justo interesse da população e das classes trabalhadores e os interesses dos setores produtivos”, disse.

Na defesa do trabalho de seu governo durante 2013, Dilma ressaltou que as turbulências econômicas nos cenários nacional e internacional não afetaram a taxa de desemprego. “As dificuldades que enfrentamos aqui dentro e lá fora não foram capazes de interromper o ciclo positivo que vivemos e que tem garantindo que a vida dos brasileiros melhore gradativamente a cada ano. Nos últimos anos somos um dos raros países em que o nível de vida da população não recuou ou se espatifou em meio a alguma grave crise. Chegamos até aqui melhorando de vida, pouco a pouco, mas sempre de maneira firme e segura”, afirmou.

“Por isso sinto a alegria de poder tranquilizar vocês dizendo-lhes que entrem em 2014 com a certeza que o seu padrão de vida vai ser ainda melhor do que você tem hoje. Sem risco de desemprego, podendo pagar suas prestações, em condições de abrir sua empresa ou ampliar seu próprio negócio. Entrem em 2014 com toda energia e otimismo e com a certeza de que a vida vai continuar melhorando”, acrescentou a presidente. “Neste ano de 2013 continuamos nossa luta vigorosa em defesa do emprego e da valorização do salário do trabalhador. Uma luta plenamente vitoriosa, pois alcançamos o menor índice de desemprego da história”, disse.

A presidente admitiu “problemas localizados” com a inflação, mas destacou que a redução da conta de luz ajudou a desacelerar os preços. “Nisso o governo teve uma ação firme, atuou nos gastos e garantiu o equilíbrio fiscal, atuou na redução de impostos e na diminuição da conta da luz. Nesses últimos casos enfrentando duras críticas daqueles que não se preocupam com o bolso da população brasileira”, disse.

“O governo está atento e firme em seu compromisso de lutar contra inflação e manter o equilíbrio das contas públicas. Sabemos o que é preciso para isso e nada nos fará sair desse rumo, como também nada fará mudar nosso rumo na luta em favor de mais distribuição de renda, diminuição da desigualdade pelo fim da miséria e em defesa das minorias”, concluiu Dilma.

Copa do Mundo e Olimpíada abrem terreno para profissionais de TI no Brasil

O sistema de computação em nuvem já está bem consolidado nos Estados Unidos, onde mais da metade das empresas já utiliza o serviço em sua rotina. Mas, na América Latina, a realidade é outra. Para avançar nesse cenário, o Brasil se tornou líder na implementação do serviço.

De acordo com pesquisa realizada pela consultoria IDC no início deste ano, 18% das empresas de médio e grande porte nacionais já haviam aderido à tecnologia de nuvem. Estima-se que, até o fim do ano, esse número chegue a 35%. Em contrapartida, os demais países do continente se mantêm distantes do serviço de cloud computing. Apenas 14,5% das companhias têm acesso a essa plataforma ou planejam investir nela.

Enquanto isso, o Brasil aproveita as vantagens que surgem com a utilização da nuvem, principalmente entre as companhias de pequeno e médio porte. O serviço de cloud computing oferece melhor custo-benefício em implementação e manutenção, economia de energia elétrica e possibilita competição com empresas grandes quando o assunto é estrutura tecnológica. Logo de início, o principal alvo do uso da nuvem nas empresas brasileiras é o e-mail, seguido pelo backup de dados online.

O mercado nacional sofre, no entanto, com a carência de mão de obra qualificada para essa tecnologia. Um estudo feito pela IDC aponta que há crescente demanda por profissionais de TI no Brasil, mas que o país não tem conseguido cobrir.

Entre as principais tendências que motivam esse aumento na procura por profissionais capacitados estão os investimentos em TI por conta da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada 2016, e a maior conectividade baseada em nuvem. Em 2011, o Brasil sofreu com uma lacuna de quase 40 000 profissionais de rede, procurados para desenhar, planejar e administrar tecnologias de rede. A projeção é que essa lacuna aumente.

O número de vagas deve continuar alto. Para 2015, estão previstas 363 584 oportunidades no país.

Fonte: Exame Info