Obras na Refinaria Abreu e Lima (Refinaria do Nordeste- Rnest) em Ipojuca, em Pernambuco, em uma foto de 2013

A cerca 40 quilômetros de Recife, o município de Ipojuca (PE) terminou 2014 com o pior saldo do mercado de trabalho desde 2002. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, mais de 22 mil postos de trabalho foram fechados na cidade entre janeiro e dezembro do ano passado.

A principal explicação para o cenário é a conclusão de obras do Complexo Industrial e Portuário de Suape – entre elas, a construção da Refinaria de Abreu e Lima. A expectativa é que 42 mil pessoas sejam demitidas por conta do término da obra.

Os dados do MTE não detalham onde as demissões aconteceram no ano passado, mas o levantamento revela que, na cidade, mais de 7,7 mil postos de trabalho foram cortados só na construção civil. Na área de serviços foram 7,6 mil.

No Cabo de Santo Agostinho (PE), cidade vizinha de Ipojuca, mais da metade dos empregos cortados no ano passado eram do setor de serviços. O município é o nono que mais perdeu postos de trabalho em 2014.

Anúncios