Produção de petróleo aumenta 2,2% em maio

p-58.jpg

Produção de petróleo no Brasil, em maio, atingiu a média de 1 milhão 975 mil barris/dia (bpd) superando em 2,2% a produção de abril, que foi de 1 milhão 933 mil bpd. Incluída a parcela que operamos para nossos parceiros no Brasil, o volume atingiu a marca de 2 milhões e 92 mil bpd, 2,9% acima do volume produzido no mês anterior, que foi de 2 milhões e 34 mil bpd.

Produção de petróleo e gás natural no Brasil, no mesmo mês, foi de 2 milhões 387 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), indicando um  aumento de 2,2% em relação a abril (2 milhões 335 mil boed). Incluída a parcela que operamos para as empresas parceiras no Brasil, o volume atingiu a marca de 2 milhões e 558 mil boed, 2,9% acima da produção alcançada em abril, que foi de 2 milhões 487 mil boed.

Contribuíram para o aumento da produção a entrada em operação de novos poços nas plataformas P-58 (Parque das Baleias), P-63 (Papa-Terra), P-55 (Roncador) e o início da produção da plataforma P-62 (Roncador), todos na Bacia de Campos. A essa última plataforma serão interligados, nos próximos meses, um total de 22 poços, sendo 14 produtores de petróleo e gás e oito injetores de água. Do tipo FPSO (unidade que produz, armazena e transfere petróleo, na sigla em inglês), essa unidade tem capacidade para processar, diariamente, até 180 mil barris de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Recordes no pré-sal

No pré-sal das bacias de Santos e Campos, o aumento da produção, em maio, foi de 8,8%, atingindo um volume de 447 mil bpd, configurando mais um recorde mensal. No dia 31 de maio a produção do pré-sal bateu novo recorde diário, chegando a 482 mil bpd. Esses volumes incluem a parte operada para nossos parceiros.

Os recordes no pré-sal são consequência do crescimento da produção da plataforma P-58 e ao excelente desempenho dos demais poços produtores daquele horizonte, com destaque para os campos de Lula e Sapinhoá, onde vazões acima de 30 mil bpd por poço vêm sendo obtidas com frequência.

No dia 9 de maio foi concluída a instalação da última das quatro boias de sustentação de risers (BSR), tecnologia pioneira de sustentação de tubulações por meio de boias submersas. A essas boias estão sendo interligados os poços que produzem para os FPSOs Cidade de São Paulo e Cidade de Paraty.

Paradas de produção para manutenção das plataformas

Seguindo o planejamento plurianual, em maio foram executadas paradas programadas para manutenção em algumas plataformas, sendo a mais relevante a P-51. A unidade, que opera no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, ficou paralisada entre os dias 28 de abril e 12 de maio para manutenção e inspeção de equipamentos. Com isso, a unidade deixou de produzir 24 mil bpd na média do mês de maio.

O Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef), iniciado em 2012, tem demonstrado excelentes resultados: os sistemas de produção da Unidade de Operações da Bacia de Campos (UO-BC) fecharam o mês de maio com o recorde de eficiência operacional dos últimos 47 meses, atingindo o patamar de 81,2%. Atualmente, seis Unidades de Manutenção e Segurança (UMSs) executam atividades de apoio às plataformas da UO-BC, com o objetivo de dar suporte a ações de melhoria na eficiência operacional.

No dia 5 de maio, esse programa será estendido para a Unidade de Operações do Espírito Santo (UO-ES) com o objetivo de garantir que a unidade mantenha elevado nível de eficiência ao longo dos próximos anos, assim como ocorre na UO-Rio.

Deve-se destacar, também, a eficiência das novas plataformas que iniciaram operação no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, cuja eficiência em maio atingiu 96,2%.

Novas plataformas entrarão em operação em 2014

Novos sistemas de produção vão entrar em operação ao longo de 2014 para garantir o crescimento sustentado da produção, conforme o Plano de Negócios e Gestão 2014-2018, que prevê aumento de 7,5%, até o final de 2014, com margem de tolerância de um ponto percentual para mais ou para menos.

No segundo semestre entrará em operação a plataforma P-61, no campo de Papa-Terra (no pós-sal da Bacia de Campos), que será interligada à plataforma semissubmersível SS-88, unidade de apoio do tipo Tender Assisted Drilling (TAD), cujos trabalho de instalação offshore encontram-se em andamento. Também serão instalados, até o final do ano, os FPSOs Cidade de Mangaratiba, no campo Lula/Iracema, e Cidade de Ilhabela, no campo de Sapinhoá, ambos no pré-sal da Bacia de Santos.

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s