Restauração da fábrica da Pilar prestes a ser executada

Proposta final de reforma da fábrica deve ser apresentada em breve ao Iphan e à Prefeitura do Recife. Novo prédio preservará traços arquitetônicos originais

 / Foto: Hélia Scheppa/JC ImagemApós passar pelo olhar do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Prefeitura do Recife, o projeto de reforma da fábrica da Pilar, no Bairro do Recife, está prestes a ser executado. Por estar numa área tombada pelo órgão, que compreende a Igreja de Nossa Senhora do Pilar e o Forte do Brum, a edificação preservará características originais para manutenção arquitetônica depois da revitalização.

“Tudo será feito com base nos parâmetros definidos pelo Iphan durante todo o ano de 2013, período em que o projeto foi analisado e foram sugeridas modificações”, diz o secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga.

Entre as distinções da proposta, está o fato de a Igreja de Nossa Senhora do Pilar, construída no século 17, passar a ser contemplada por quem passa pela frente da fábrica. “Atualmente, ela está escondida pelo prédio. Com a reforma, a população poderá apreciar a beleza desse santuário histórico.” O templo, recentemente restaurado, reabriu ao público em janeiro de 2013 e permanece com a estrutura e os azulejos da época da construção. “Possibilitar a visualização desse imóvel será uma grande herança deixada pela reforma da Pilar”, acrescenta o secretário.

O Iphan informa que a proposta também se sobressai pela abertura de vias, como a Rua São Jorge e a Rua do Pilar, hoje fechadas. O órgão garante que o edifício não será todo demolido, apesar de o projeto contemplar a modernização do imóvel. “Foi feito um estudo que possibilita a perspectiva do novo prédio, embora esteja para sair a concepção definitiva. É certo que os núcleos primitivos da Pilar serão preservados”, diz o superintendente do Iphan em Pernambuco, Frederico Almeida.

Uma das mais antigas empresas do setor de biscoitos e massas alimentícias da América Latina, a Pilar foi comprada pela Vitarella, do Grupo M. Dias Branco, em 2011. Sobre a revitalização da fábrica, o diretor comercial e marketing da Vitarella, Massud Salem Júnior, prefere não esmiuçar as particularidades da obra. “O projeto ainda não foi aprovado oficialmente pelos órgãos competentes e, por isso, é cedo para anunciar questões sobre a construção da nova fábrica”, justifica.

A Prefeitura do Recife avisa que a mais recente versão do projeto com as sugestões propostas pelo Iphan foi entregue ao Grupo M. Dias Branco no início deste ano. “A documentação já está bem clara e, por isso, brevemente devemos ter o retorno da empresa com a proposta final de reforma”, frisa João Braga. O cronograma das obras só será apresentado pelo grupo após aprovação oficial do Iphan e da prefeitura.

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s