O Governo do Estado do Ceará está realizando um Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE), através da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), para a construção do novo aeroporto de cargas e passageiros nas proximidades do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), no município de São Gonçalo do Amarante.

A proposta inicial, que vem desde o primeiro mandato do governador Cid Gomes, previa a construção de um terminal exclusivo para cargas na região. No entanto, os primeiros relatórios dos estudos de viabilidade apontaram para a revisão desse planejamento. A ideia que prevalece agora é acrescentar um terminal de passageiros no equipamento. O trabalho é realizado em parceria com a United States Trade and Development Agency (UST DA) – sigla que, em inglês, significa Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento – e a pernambucana Projetec, contratadas pelo Governo por meio da Agência de Desenvolvimento do Ceará, Adece.

Além dos estudos, a USTDA está empenhada em atrair investidores para o projeto. Segundo o Secretário de Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, ainda não está definida qual será a participação do Estado do Ceará na construção do novo aeroporto. Os resultados do estudo deverão apontar os possíveis encaminhamentos – que vão desde um empreendimento exclusivamente público ou a estruturação de uma parceria público-privada (PPP) envolvendo a construção e operação do novo terminal.

A ideia inicial de um aeroporto exclusivamente de cargas foi afastada pelos estudos iniciais de viabilidade, uma vez que parte considerável da carga embarcada é despachada em aeronaves de passageiros. Além disso, a frequência dos voos de passageiros se adéqua mais a certos perfis de cargas como, por exemplo, o embarque de flores. Os estudos de viabilidade consideram ainda, do ponto de vista de mercado, a presença futura dos aeroportos de cargas do Rio Grande do Norte e de Pernambuco.

A previsão é que o estudo final do empreendimento deverá ser concluído ainda este ano. O valor estimado do novo aeroporto terá um primeiro referencial após a conclusão dos estudos técnicos, que vão apontar também sua viabilidade.

Do Jornal Grande Porto.

Anúncios