Atualmente, a participação do pré-sal já atinge 17% no total de óleo que produzimos. Esse percentual vai mais do que dobrar até 2017, quando a produção do pré-sal será de 42% do nosso total de petróleo.

Segundo nossa presidente, Graça Foster, em 2007, a perfuração de um poço no pré-sal levava em torno de 135 dias. Em 2013, a média passou a ser de 70 dias.

“Temos uma redução de custo muito grande. Isso nos faz ficar mais competitivos. De 2008 até 2013, temos uma redução em torno de 45% do custo, do capital necessário para o desenvolvimento de uma boa parte do pré-sal”, afirmou a presidente no vídeo “2020 é agora”. Assista abaixo:

Anúncios