Captação de recursos da Petrobras na Europa atinge €3,05 bilhões e £600 milhões

Realizamos este mês uma emissão de títulos em Euros (€) e em Libras Esterlinas (£) que, em apenas um dia, captou um volume de €3,05 bilhões e £600 milhões. Segundo nosso diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Almir Barbassa, essa foi a maior emissão de uma empresa operacional oriunda de um mercado emergente realizada na Europa, em toda a história: “Este resultado mostra que o investidor de renda fixa confia nos projetos da Petrobras, pois entende que estamos captando para aumentar a capacidade produtiva da Companhia”. Na entrevista abaixo, Barbassa fala mais sobre essa e outras possíveis captações.

Confira:

Fatos e Dados: Como surge a decisão do momento em que deve ser feita uma emissão? Por que a Petrobras optou por fazer a captação agora? Por que em Euros?

Barbassa: Estamos sempre analisando oportunidades. A opção por acessar o mercado de euros deveu-se ao momento do mercado europeu, que apresentou custos menores que o em dólar. Além disso, geralmente no início do ano os mercados apresentam maior liquidez, o que se confirmou, com a demanda três vezes maior que a captação.

Qual a avaliação que a Petrobras faz a respeito do resultado da oferta? A que o senhor atribui esse resultado?

A captação foi um sucesso. A operação foi realizada em apenas 1 dia e o volume captado foi de €3,05 bilhões e £600 milhões com 3 prazos diferentes para o Euro (títulos com vencimento em 2018, 2021 e 2025) e um prazo para os títulos em libras esterlinas (vencimento em 2034). Essa foi a maior emissão de uma empresa operacional oriunda de um mercado emergente na Europa, em toda a história. Tivemos mais de 1.300 ordens, principalmente da Inglaterra (23,5%), Alemanha (18,3%), Suíça e França. Este resultado mostra que o investidor de renda fixa confia nos projetos da Petrobras, pois entende que estamos captando para aumentar a capacidade produtiva da Companhia.

Essa emissão afeta a percepção de risco da companhia?

Não, pelo contrário, o sucesso da operação contradiz certo pessimismo em relação à Petrobras.

Qual o impacto da operação no endividamento? Há previsão de quando esse cenário começa a se reverter?

No curto prazo, irá impactar o endividamento bruto, mas a dívida líquida não se altera enquanto este dinheiro estiver no caixa. A perspectiva é que, a partir de 2016, a empresa terá menor necessidade de captação, com fluxo de caixa livre positivo.

A Petrobras pretende realizar novas captações? Quando? Em que moedas?

Nossa estratégia é fazer uma grande operação por ano em cada mercado (americano e europeu). Então, há previsão de uma captação em dólar ainda esse ano.

Essas captações que a Petrobras faz já são previstas no Plano de Negócios. Quanto a Petrobras pretende captar em média para fazer frente aos investimentos que temos programados para os próximos anos?

O valor de captação para os próximos anos será anunciado na divulgação do novo Plano de Negócios e Gestão, para o período 2014-18.

– See more at: http://fatosedados.blogspetrobras.com.br/2014/01/23/diretor-financeiro-fala-sobre-captacoes/#sthash.z3q5PMmN.dpuf

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s