Lançamos nesta sexta-feira (24/01), às 13h13, na malha de gasodutos brasileira, o primeiro gás regaseificado no Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL), localizado na Baía de Todos os Santos, em Salvador, Bahia.

O Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA) tem capacidade para regaseificar 14 milhões de m³/dia de gás natural. Com sua entrada em operação, nossa capacidade de regaseificação de gás natural sobe de 27 milhões de m³/dia para 41 milhões de m³/dia, quase uma vez e meia a capacidade de importação do gás da Bolívia. Atualmente, também temos em operação os terminais de regaseificação de Pecém (CE) e da Baía de Guanabara (RJ) com capacidade para regaseificar, respectivamente, 7 milhões de m³/dia e 20 milhões de m³/dia de gás natural. O GNL, importado de vários fornecedores em diferentes partes do mundo, destina-se ao atendimento da demanda do mercado nacional por gás natural. Seu propósito é dar maior flexibilidade e garantia ao suprimento, aumentando a segurança energética no País, condição fundamental para estimular novos investimentos.

Com investimento de cerca de R$ 1 bilhão, o TRBA é o terceiro terminal de regaseificação de GNL do Brasil. Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, esse terminal começou a ser construído em 2012, foi concluído no prazo estabelecido e gerou 3.623 empregos diretos na região, registrando um índice de nacionalização de equipamentos e serviços da ordem de 90%.

FATOS E DADOS PETROBRAS

Anúncios