Presidente da Transpetro aposta no Promef III para atender demanda

Segundo Machado, o pré-sal demandará novos petroleiros, que serão supridos pelo Promef III

Sérgio Machado, presidente da Transpetro, destaca que a extração de petróleo vai triplicar com o pré-sal
Com o aumento da produção de petróleo, que virá com a exploração da maior reserva de petróleo do País, o Campo de Libra, o Brasil também deve construir mais petroleiros segundo o presidente da Transpetro, Sergio Machado. Para assegurar a oferta necessária ao Brasil, conforme diz, deve ser implantada uma terceira fase do Programa de Modernização da Frota (Promef III).

“Um país que sai de uma produção de 2 milhões para 6 milhões de barris por dia vai certamente precisar de muito mais petroleiros. E, com esta necessidade, certamente vai acontecer o Promef III. Não há data marcada para o lançamento, o que se tem é a certeza da necessidade de se dar continuidade ao programa e de ampliação e desenvolvimento da indústria naval brasileira”, afirmou.

Machado dá como certa a continuidade do Promef porque o Campo de Libra trará novos desafios para a logística de transporte e distribuição de petróleo e derivados no território nacional. Iniciado em 2004, o programa encomendou 49 embarcações a estaleiros nacionais, impulsionando a indústria naval brasileira.

O presidente da Transpetro ressaltou que somente para o desenvolvimento da produção do Campo de Libra, que integra a sessão onerosa de capitalização da Petrobras, licitado no final do ano passado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), será necessária a construção entre 12 e 18 plataformas de petróleo e de cerca de 60 barcos de apoio.

“Para transportar todo esse petróleo que essas plataformas produzirão, há a necessidade de mais petroleiros. Machado considera o fato de a maior parte da produção de petróleo no país ser em alto-mar, o que exige todo um trabalho de logística para escoar o óleo, fazer com que ele chegue aos pontos de refino, ou mesmo a outros países – no caso do excedente ser exportado. “Nós precisaremos cada vez de mais navios para transportar esse petróleo.

Além da construção de 49 navios, o Promef contempla 20 comboios hidroviários, um investimento de R$ 11,2 bilhões. Já foram entregues sete navios e outros 12 se encontram em construção. Em 2014, o Promef deverá bater um novo recorde: serão 7 navios a entrar em operação.

Também este ano, a Transpetro receberá os três primeiros comboios. O programa também viabilizou a construção de três novos estaleiros: Atlântico Sul (EAS) e Vard Promar, em Pernambuco; e Rio Tietê (ERT), em São Paulo.

Promef

O Promef faz parte do PAC II e tem como pilares:

A construção de novos navios no Brasil

Alcançar índice de conteúdo nacional mínimo de 65% na primeira fase, e de 70% na segunda fase atingir competitividade internacional, após a curva de aprendizado

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: