Começa cobrança de pedágio no Complexo Viário de Suape

Valor será de R$ 5,60 para veículos de passeio e de R$ 2,80 para motos. Caminhões com reboque e nove eixos pagarão o preço mais alto, de R$ 50,40. Concessão à Rota do Atlântico é de 35 anos

Diario de Pernambuco – Diários Associados

Devem circular 15 mil quilômetros por dia na rodovia / Foto: CRA/Divulgação
Devem circular 15 mil quilômetros por dia na rodovia / Foto: CRA/Divulgação

Começa neste sábado a cobrança de pedágio no Complexo Viário de Suape, entre os municípios do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca. Denominada de Rota do Atlântico, o trecho sujeito à cobrança é um novo acesso ao distrito industrial e às praias do Litoral Sul (Porto de Galinhas, Muro Alto, Cupe e Maracaípe, entre outras).

A tarifa básica cobrada será de R$ 5,60, para veículos de passeio e por trecho para veículos de grande porte. Motos pagam metade do valor. O preço mais alto será cobrado dos caminhões com reboque e nove eixos (R$ 50,40). Os valores serão os mesmos tanto nos dias úteis quanto nos fins de semana. O pagamento para quem pegar a nova rota será cobrado de forma unidirecional. Ou seja, apenas uma vez, somente ao entrar no sistema.

Administrada pela concessionária Rota do Atlântico (CRA) – formada pela Odebrecht Transport (OTP) e pela Investimentos e Participações em Infraestrutura (Invepar) – devem circular pela rodovia cerca de 15 mil carros por dia.

Prevista para começar no dia 28 de dezembro, a cobrança foi adiada para o dia 4 de janeiro porque a Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) emitiu apenas no dia 27 de dezembro as licenças de operação do complexo de 4 quilômetros, com cinco viadutos e 14 alças de acesso próximo ao Hospital Dom Helder e do chamado Contorno do Cabo, com cerca de 8 quilômetros de extensão.

Como recebeu a autorização para operar os novos trechos, a Concessionária Rota do Atlântico (CRA) resolveu iniciar a cobrança em conjunto com os outros 13,6 quilômetros já autorizados.

Desde outubro, duas partes da Via Expressa já funcionavam no sistema “soft open”. Um delas tem 9 quilômetros de extensão e vai do entroncamento da nova rodovia PE-009 com a PE-028, até a rotatória conhecida como Curva do Boi – já dentro de Suape. O outro trecho liberado, com 4,6 quilômetros, é a VPE-052, entre a PE-60 e a Avenida Portuária.

Até o final de janeiro, serão inaugurados outros 5,5 quilômetros da rodovia, ligando Suape à PE-038, no distrito de Nossa Senhora do Ó, em Ipojuca. Segundo a CRA, na comparação com o percurso feito pela PE-060, o trajeto para as praias será reduzido em 8,4 quilômetros. Haverá uma economia de 30% no percurso e de 20 minutos no tempo gasto.

A conta considera a velocidade permitida de 100 Km/h. Até o fim do primeiro semestre de 2014 deve ficar pronto o acesso à Ilha de Cocaia, com cerca de 13 quilômetros. Esta será a ligação para o polo naval de Suape. No total, a concessão – que vai durar 35 anos e tem previsão de investimentos privados de cerca de R$ 450 milhões – terá cinco praças de pedágio. Quem for para o Litoral Sul e não quiser saber de pedágio, deve continuar usando a PE-060.

Anúncios

2 Comments

  1. a verdade é que para quem vai para as praias a via pedágiada é uma boa alternativa. mais para quem trabalha no porto de súape como eu que sou carreteiro autônomo e entro em súape 2 vezes por dia tenho que desembolsar R$ 28,00 por acesso = R$ 56,00 x 24= 1.344,00.ai eu pergunto isso é justo?

    Responder

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s