Dilma Rousseff anuncia aporte do Governo Federal para obra de 77 quilômetros

KLEBER NUNES Enviado especial

Jedson Nobre

PRESIDENTE ressaltou importância da Fiat, grande beneficiada pela via

SERRA TALHADA – As obras do Arco Metropolitano serão financiadas com recursos do Governo Federal. O anúncio foi feito ontem, pela ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Mirian Belchior e confirmado pela presidente Dilma Rousseff, durante a inauguração da primeira etapa da Adutora do Pajeú, em Serra Talhada. A verba eleva para R$ 3,1 bilhões os investimentos da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Estado. A decisão exclui de vez a possibilidade de uma Parceria Público-Privada (PPP) para a via. Entretanto, a definição do responsável não significa que a rodovia esteja pronta em 2016. É que o traçado do arco, com 77 quilômetros de extensão, será alterado.

No atual estudo, a estrada corta uma área de proteção ambiental em Camaragibe. A mudança deve adiar ainda mais o licenciamento ambiental e o início da construção. Segundo informações repassadas pela assessoria de Comunicação da Secretaria de Governo de Pernambuco, o titular da pasta, Milton Coelho, tem a missão de re­ver o projeto e evitar o desmata­mento de 30 hectares de Ma­ta Atlântica, em Aldeia. A deter­minação partiu do próprio governador Eduardo Campos, que espera que o secretário seja célere na adequação do projeto.

O Arco Metropolitano ligará a BR-101 Norte, em Igarassu, à BR-101 Sul, nas proximidades do Hospital Dom Helder Camara, no Cabo de Santo Agostinho. As obras, orçadas, por enquanto, em R$ 1,2 bilhão, são consideradas estratégicas para melhorar a eficiência logística do Estado, ligando o polo automotivo de Goiana, encabeçado pela Fiat, ao Porto de Suape. “Desenvolver o Nordeste é desenvolver o Brasil. Por isso é que estamos e continuaremos investindo substantivamente na Região. Acreditamos nas obras da Fiat, pois elas trarão o que interessa à nossa população, que é trabalho e renda”, declarou Dilma Rousseff.

Depois de realizar duas audiências públicas sobre o assunto, a previsão do Governo de Pernambuco era de que as obras começassem em setembro e terminassem num prazo máximo de 36 meses, um ano depois da previsão para o início da comercialização dos primeiros automóveis da Fiat. Mas, além, de realizar um estudo para o novo traçado, ainda não se sabe quem fará a licitação, se será o Governo Federal ou o executivo estadual. “Os detalhes só serão revelados depois que for definido o responsável pela licitação”, informou a assessoria de Comunicação da Secretaria de Governo do Estado.

No início do mês, o presidente da Fiat para a América Latina, Cledorvino Belini, cobrou publicamente celeridade do Governo na construção do anel viário, já que a via será fundamental para que os carros fabricados em Goiana sejam escoados pelo Porto de Suape. Em resposta, o secretário Milton Coelho, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, disse que o Estado estava estudando, juntamente com a Fiat, “alternativas para que a montadora possa levar sua produção para Suape e outros estados do Nordeste, enquanto o Arco Metropolitano não fica pronto”. A solução ainda não foi apresentada.

FOLHA PE

Anúncios