Empreendedor individual já pesa no mercado

O Estado de S.Paulo

Diante do crescimento pífio do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012, de 0,9%, uma questão central é saber se o mercado de mão de obra continuará favorável aos trabalhadores neste ano. Por ora, faltam respostas conclusivas, mas está claro que o dinamismo do mercado de trabalho aumentou muito nos últimos anos. Foi o que mostrou estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado anteontem, sobre os efeitos positivos da introdução do Simples, em 1996, e da Lei Complementar 128, de 2008 (conhecida como Lei do Empreendedor Individual – LEI), para a formalização das atividades.

Com a LEI foi criada a figura do Microempreendedor Individual (MEI), o que provocou um aumento do número de trabalhadores autônomos que passaram a contribuir com a Previdência Social. O texto, assinado pelo presidente do Ipea, Marcelo Neri, pelo diretor Carlos Henrique Corseuil e pelo pesquisador Gabriel Ulyssea, mostrou que “a situação de trabalhadores autônomos formais se tornou uma porta de entrada mais comum ao mercado de trabalho”.

O objetivo dos últimos governos foi reduzir os encargos burocráticos e tributários que incidem sobre as micro e pequenas empresas. E, além disso, estimular os negócios que faturam até R$ 60 mil anuais, que podem aderir à Previdência Social pagando uma contribuição inicial de apenas 5% do valor do salário mínimo. O controle do déficit da chamada previdência urbana (que não inclui os trabalhadores rurais) mostrou que as contas do INSS foram beneficiadas pelos MEI, ainda que as responsabilidades futuras relativas a esses novos contribuintes devam crescer.

O trabalho do Ipea não exclui a hipótese de que assalariados se transformem em MEI, para pagar menos tributos, mas os dados não permitem concluir que isso ocorreu.

A recuperação da economia, neste ano, ainda que modesta (estima-se em 3% o crescimento do PIB), favorecerá a manutenção do nível de emprego, em especial na indústria – setor que enfrentou mais dificuldades nos últimos anos. A taxa média de desemprego caiu ao nível mínimo de 5,5%, no ano passado, mas, mesmo que suba neste ano, especialistas consideram que a situação ainda será tida como de pleno emprego.

A criação do MEI contribuiu decisivamente para a formalização da economia e do emprego. O que se ignora, até aqui, é o efeito de uma diminuição ampla da carga tributária sobre a atividade assalariada, pois o governo prefere reduzir esse custo apenas para setores escolhidos.

Saiba mais:

Anúncios

Um comentário em “Empreendedor individual já pesa no mercado”

  1. The program is well-structured, easy-to-follow and extremely effective. Just be aware if an agency has such an approved rate, apply it.

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s