Pesquisa da Fecomércio-PE aponta que vendas de carros estacionaram. Construção civil, calçados, papelarias cresceram. Expectativa para 2013 é de 6%.

Do JC Online

varejo

As vendas no varejo da Região Metropolitana do Recife (RMR) fecharam 2012 com acréscimo de 4% em relação ao ano anterior. Com esse percentual, o ciclo de crescimento iniciado em 2004 registra 104,8% em nove anos – ou seja, o volume vendido mais que duplicou. Os dados são da Federação do Comércio de Pernambuco (Fecomércio-PE).

Desde 2004, segundo a Fecomércio-PE, a massa salarial cresceu (acumulado) 72,2% e o nível de emprego, 22,5%. É o maior ciclo de expansão já registrado.

Dos ramos que compõem o índice da Fecomércio-PE, apenas as concessionárias de veículos não cresceram em 2012.  A inércia do percentual foi gerada pela contração de crédito, gerada pelo aumento da inadimplência. Se elas fossem excluídas do estudo sobre o percentual de crescimento total (os 4% já citados), este passaria para 5%.

Só depois de maio, quando o IPI foi reduzido, o faturamento das concessionárias voltou a crescer, principalmente no segundo semestre. No acumulado do ano o faturamento aumentou mais de 5%, mas quando descontada a inflação do período registrou-se um pequeno recuo real de 0,33%.

Outros ramos que tiveram suas vendas incentivadas pelo governo tiveram desempenho destacado no ano: materiais de construção aumentou 5,64%, continuando um sólido crescimento. Lojas de utilidade doméstica registraram incremento superior a 5%, influenciadas pela redução do IPI para a linha branca (máquina de lavar, geladeira, fogão, entre outros).

As vendas no setor de calçados marcaram mais de 8% em dezembro comparado com o mesmo mês de 2011 e mais que duplicaram em relação a novembro. Livrarias e papelarias foi o ramo que teve a maior expansão do faturamento no acumulado do ano, crescendo mais de 6%.

De acordo com um dos autores do estudo, o economista José Fernandes de Menezes, a desaceleração da economia afetou significativamente o varejo em 2012, que embora com resultados positivos teve neste ano o pior desempenho do ciclo de crescimento iniciado em 2004.

Sobre 2013, a expectativa de crescimento entre os empresários do varejo da RMR é de 6%. Entre os motivos, a aceleração do crescimento da renda em 2013 (com PIB nacional aumentando 3% no ano e Pernambuco, quase 5%), a expansão do emprego e do salário médio real. Além disso, se espera um aumento de 14% no acesso ao crédito.

JC ONLINE

Anúncios