Secretaria das Cidades e CTTU estão elaborando planos para amenizar os impactos das obras de mobilidade

Todos os dias, o pintor Abelardo de Souza Lima, 31 anos, sai de casa às 5h para garantir sua chegada ao trabalho às 7h. Morador de Casa Amarela, Zona Norte do Recife, precisa trafegar por três grandes corredores até seu destino, em Boa Viagem, na Zona Sul. Quando chove, como ocorreu durante todo o dia de ontem, a situação fica ainda pior e os atrasos são inevitáveis. Abelardo já prevê que poderá perder a hora mais uma vez, mesmo sem chuva. Isso porque, no seu caminho, está a Avenida Agamenon Magalhães, uma das artérias viárias que deverá sofrer intervenções físicas no curso de 2013. Assim como a Agamenon, a Caxangá e a Cruz Cabugá também estarão em obras. Até que os benefícios sejam visualizados, será preciso paciência dos motoristas para enfrentar os transtornos. A Secretaria das Cidades, principal executora dos projetos, adiantou que já está articulando com a CTTU a criação de planos de circulação para amenizar os impactos das obras na mobilidade da capital.

As duas principais obras que prometem mexer com a rotina do recifense são os dois corredores exclusivos para a circulação do BRT (Bus Rapid Transit), um novo conceito de transporte público coletivo que chega ao Recife após experiências bem-sucedidas em Curitiba e no Rio de Janeiro. O Norte/Sul começa em Igarassu e vai até o Centro da cidade, sendo que, na altura do Tacaruna, seguirá por dois ramais, sendo um pela Cruz Cabugá e o outro pela Agamenon Magalhães. Já o Leste/Oeste vai de Camaragibe ao Derby, percorrendo toda a Avenida Caxangá. As obras estão no cronograma da Copa do Mundo de 2014 e devem ser concluídas antes do evento. “O ano será complicado e vamos precisar de mais compreensão dos motoristas e estreitar ainda mais a relação com a CTTU que vai orientar o trânsito nesse período”, afirmou o secretário executivo de Mobilidade, Flávio Figueiredo.

As obras do Leste/Oeste já estão em território recifense. Além das estações para o BRT, um viaduto está sendo construído na Caxangá na altura do Engenho do Meio. “Teríamos um segundo viaduto, na General San Martin, mas a prefeitura deverá assumi-lo porque faz parte do projeto da Terceira Perimetral”, explicou Figueiredo. Ainda no primeiro semestre, começará a ser construído um túnel que irá da Rua Real da Torre até a João Ivo, liberando o tráfego do BRT que seguirá da Caxangá para o Benfica e vice-versa.

Já as intervenções do Norte/Sul começarão a afetar diretamente a capital ainda no começo de 2013, quando o corredor exclusivo deverá adentrar a Cruz Cabugá até o Centro. O ramal da Agamenon, que inclui o corredor, as estações, o alargamento do Viaduto da João de Barros e a passarela do Chié, ainda está tendo a licitação analisada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Já o pacote dos quatro viadutos, que faz parte da mesma obra, está com a licitação concluída e, agora, a empresa ganhadora do processo está detalhando o projeto executivo.

SAIBA MAIS

Principais intervenções na mobilidade do Recife em 2013

Corredores de ônibus

– Dois grandes corredores para uso exclusivo de BRT (Bus Rapid Transit) estão sendo construídos. O Norte/Sul começa em Igarassu, na PE-15, e vai até o Centro do Recife, com dois ramais, sendo um pela Agamenon Magalhães e outro pela Cruz Cabugá
n O Norte/Sul terá 42 estações para o BRT. A estimativa é que atenda uma demanda de 328 mil passageiros
Já o Leste/Oeste terá 12,3 quilômetros de extensão e 22 estações de BRT

Túnel

Mais um túnel será construído na cidade. Ficará no Benfica, na Praça João Alfredo, próximo à Rua Real da Torre. A obra faz parte do corredor Leste/Oeste

Viadutos

– Os quatro viadutos da Agamenon Magalhães deverão começar a ser construídos este ano. Eles ficarão nos cruzamentos com as vias que apresentam maiores retenções: Bandeira Filho, Paissandu, Dom Bosco e Rui Barbosa. Eles fazem parte do corredor Norte/Sul
n Outro viaduto está sendo construído na Avenida Caxangá, no Engenho do Meio, que faz parte do corredor Leste/Oeste

Edifícios-garagem

– O projeto foi apresentado pela gestão anterior e ainda será licitado. Mas a previsão
é de que sejam construídos
17 edifícios-garagem com 14.595 vagas. A obra poderá desafogar mais o trânsito,
já que a proposta é que essas vagas sejam eliminadas
das ruas. A maioria dos edifícios estaria no Centro expandido do Recife.

– O investimento total seria de quase R$ 480 milhões

Mudanças na gestão
do trânsito

Implantação de uma Central de Comando e Controle, com semáforos sincronizados, controle de fluxo de veículos, treinamento da guarda municipal e realização de campanhas educativas para pedestres e motoristas

DIARIO DE PERNAMBUCO

Anúncios