de economia@diariodonordeste.com.br

A região foi a que apresentou maior percentual de crescimento nos últimos dez anos
Na última década, o Nordeste foi a região brasileira que mais evoluiu: 97,8% dos seus municípios apresentaram crescimento do IFDM.

Esse movimento refletiu, sobretudo, a melhoria dos indicadores de Saúde e Educação, nos quais 95,9% das cidades nordestinas avançaram concomitantemente. Não obstante, 67,6% dos seus municípios ainda apresentam IFDM abaixo de 0,6 pontos, isto é, têm nível de desenvolvimento baixo ou regular.

Maceió, ao lado de Teresina, no Piauí, foram as únicas a registrar recuo no índice geral de 2010, na comparação com o do ano anterior FOTO: DIVULGAÇÃO
No ranking dos estados, a maior parte dos nordestinos conseguiu subir posições. Exatamente atrás do Ceará na lista de 2010, em 11º, Pernambuco era, em 2009, o 14º. O Estado de Sergipe, que agora ocupa a 15ª, no levantamento anterior, estava em 16º. Os municípios do Rio Grande do Norte, por sua vez, saíram da 17º colocação para assumir a 16º. A Bahia estava em 19º e também subiu uma posição. O mesmo aconteceu com o Piauí e Paraíba, que saíram de 20º e de 21º, respectivamente, para chegarem a 19º e 20º. Os maranhenses estavam em 24º, mas avançaram para 22º.
Exceção

O único estado que não conseguiu sair do lugar foi justamente o lanterna das listas, seja a nacional ou a da região: Alagoas, cuja capital, Maceió, ao lado de Teresina, no Piauí, foram as únicas a registrar recuo no índice geral de 2010, na comparação com o do ano anterior.

Anúncios