Governo vai anunciar desoneração para mais setores, diz ministro do Trabalho

O governo federal faz os últimos ajustes para anunciar em breve os novos setores que devem ser beneficiados com a desoneração da folha de pagamento, medida usada para enfrentar a desaceleração da economia e aumentar a competitividade da indústria nacional.

Nas duas útimas semanas, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já confirmou que mais setores serão beneficiados.

"Falta definir o percentual da alíquota que será deslocado da folha de pagamento para o faturamento [das empresas] e saber o quanto será a parte que o governo poderá subsidiar", disse o ministro do Trabalho, Brizola Neto, ao participar, em São Paulo, de almoço em apoio à candidatura de Paulo Pereira da Silva (PDT) à Prefeitura de São Paulo.

Ministro do Trabalho, Carlos Daudt Brizola, 33, conhecido como Brizola Neto (PDT)

Ministro do Trabalho, Carlos Daudt Brizola, 33, conhecido como Brizola Neto (PDT)

Anunciado em abril, o primeiro pacote de estímulos da desoneração da folha de pagamento eliminou a contribuição previdenciária patronal de 20% sobre a folha de pagamento em troca da cobrança de taxa de 1% a 2,5% sobre faturamento para 15 setores. A desoneração beneficia empresas de setores como têxtil, moveleiro, autopeças, bens de capital e plásticos.

"As medidas já anunciadas, como a redução de juros, a desoneração da folha e a redução do IPI para setores como linha branca e automotivo são medidas fortes, de impacto", disse o ministro. "Os setores desonerados, com exceção do setor automotivo, que ainda tem estoques elevados, já apresentaram forte reação. As medidas ajudaram a amenizar a queda na produção industrial".

O impacto no mercado de trabalho deve ocorrer em breve, segundo diz. "Assim que surgirem os resultados no setor automotivo, que tem peso maior na economia nacional, o mercado de trabalho deve reagir e teremos expansão na criação de emprego."

Em maio, o país registrou a criação de 139.679 vagas, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em relação ao mesmo mês de 2011, houve queda de 44,5% na quantidade de novas vagas abertas.

Sobre a demanda de vários setores, de prorrogar até o final do ano a redução do IPI, Brizola Neto disse que é preciso avaliar caso a caso. "A desoneração é um caminho que o governo tem apostado para buscar soluções de curto prazo para enfrentar a crise. É uma política que retira o custo da produção mas também tem foco no desenvolvimento sustentável do Brasil."

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: