Fábrica de PTA prevista para agosto

A Petrobras conclui em maio a montagem da fábrica de ácido tereftálico purificado (PTA) da PetroquímicaSuape, em Ipojuca. Se tudo correr bem com os testes, a planta entra em operação comercial até agosto, dois anos depois do que foi previsto inicialmente. Na quarta-feira, o diretor de abastecimento da companhia, Paulo Roberto Costa, esteve em Pernambuco para acompanhar de perto o andamento das obras e falou com exclusividade ao Diario.

“A ideia é concluir a completação mecânica em maio, então a obra estará pronta para dar início aos testes e diversos procedimentos operacionais. Normalmente, essa etapa demora entre dois e três meses, então até julho, no mais tardar em agosto, estaremos iniciando a produção do PTA”, disse Costa. Quando pronta, a planta terá capacidade para produzir 700 mil toneladas/ano desse produto, que é matéria-prima da resina PET, de insumos para pneus, de filmes plásticos para embalagens e de equipamentos elétricos. Hoje, todo o PTA que circula no país é importado de países como México e Índia.

A construção da unidade de PTA é a que está mais adiantada no complexo petroquímico, que ainda conta com uma unidade de PET e outra de polímeros e fios de poliéster. A segunda a entrar em produção, segundo o diretor da Petrobras, será a de PET, no primeiro semestre de 2013. Vai produzir 450 mil toneladas anuais da resina e todo esse volume será destinado ao mercado. Será concorrente direta da italiana Mossi & Ghisolfi (M&G), que já opera em Suape desde fevereiro de 2007 e cuja capacidade produtiva foi ampliada de 450 mil para 650 mil toneladas/ano.

Por último, a unidade de fios de poliéster – filamentos parcialmente orientados (POY), texturizados (DTY) e lisos (FDY). Está em fase pré-operacional desde agosto de 2010 e atualmente está com 66% de execução física. “Hoje temos cinco máquinas operando, de um total de 64. Nosso objetivo é ter, até o fim de 2012, 15 máquinas operando e mais 12 até junho de 2013. A conclusão dessa planta está prevista para o final de 2013”, detalha Paulo Roberto Costa, assegurando que não haverá novos adiamentos.

Clientes

Nessa fase pré-operacional, a planta de fios de poliéster da PetroquímicaSuape já conta com cerca de 150 clientes em dez estados, sendo seis em Pernambuco (Região Metropolitana e polo de confecções do Agreste). “Fizemos uma pesquisa e contatamos que os clientes têm elogiado muito a qualidade do nosso produto”, destaca o diretor de Abastecimento da Petrobras, lembrando que, até então, esses fios eram 100% importados. Estima-se que a fábrica pernambucana terá capacidade de substituir mais de 50% das importações de filamentos DTY e toda a importação do filamento cru (POY).

Saiba mais

Petroquímica Suape

O que é
Complexo industrial composto por 3 plantas: PTA, PET e polímeros e fios de poliéster

Área
55 hectares

Empreendedor
Petrobras Química S.A.
(Petroquisa)

Investimento
R$ 6 bilhões

Empregos
Construção atualmente 8,5 mil
Operação
1,8 mil diretos

Cronograma de operação
PTA – 2º semestre de 2012
PET – 1º semestre de 2013
Polímeros e fios de poliéster – 2º semestre de 2013

Importância
Vai estruturar uma cadeia
nacional de poliéster capaz de estimular o desenvolvimento de diversos segmentos como o de embalagens e o têxtil. Será o mais importante polo integrado da América Latina e um dos maiores do mundo.

Fonte: Petrobras

MICHELINE BATISTA / Diário de Pernmabuco

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: