Startups pernambucanas estão na mira da IBM. Na última semana, representantes da Big Blue estiveram no Porto Digital à caça de empresas nascentes para receberem investimento da companhia centenária. Por investimento, entenda-se não somente dinheiro vivo, apesar de a possibilidade existir. O capital que a IBM quer aplicar é muito mais social que financeiro, além de oferecer apoio tecnológico para o desenvolvimento desses negócios.

Desde o ano passado mantemos esse programa de empreendedorismo global, que apoia empresas nascentes. Mas só agora ele está chegando ao Brasil. Visitamos algumas cidades importantes no setor de TI e certamente Recife e o Porto Digital estavam nos nossos planos desde o início, conta o diretor do Centro de Inovação da IBM no Brasil, Ricardo Mansano. Ao todo, 13 companhias de dentro e fora do Bairro do Recife apresentaram seus produtos à Big Blue e investidores na última sexta-feira.

Segundo Mansano, as empresas escolhidas receberão o apoio da IBM, que fornecerá gratuitamente seu portfólio de desenvolvimento de software por três anos, além de terem acesso ao Centro de Inovação. Com nosso apoio, as startups ganham visibilidade e podem receber investimentos. Além disso, nos últimos dez anos, a IBM adquiriu 120 empresas. Para o futuro, queremos comprar outro tanto de companhias para fortalecer nosso portfólio. Uma dessas startups pode muito bem estar entre as novas aquisições”, diz Mansano.

Outra possibilidade para as pequenas empresas é participar do SmartCamp, uma competição de negócios que serve como vitrine mundial para novas soluções. Algumas dessas startups serão convidadas para o SmartCamp, cuja final nacional acontecerá em novembro, no Rio. Serão cinco finalistas brasileiros. A vencedora participará da final mundial, que conta com a participação de alguns dos maiores investidores do mundo, diz. A final mundial do SmartCamp ainda não tem data nem local definidos. (J.W.)

jORNAL DO cOMMERCIO

Anúncios