O Porto Digital, com faturamento de R$ 700 milhões ao ano, quer atingir, até 2020, 10% do PIB (Produto Interno Bruto) de Pernambuco, seja ele qual for. Além disso, a expectativa do Porto é duplicar o número de trabalhadores, passando para 20 mil funcionários. A estimativa é de Silvio Meira, fundador do Porto Digital e cientista-chefe do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), homenageado on­tem, no Spettus de Boa Viagem, pela conquista do prêmio Faz a Diferença 2010, do jornal O Globo, na categoria Economia. Homenagem considerada justa pelo setor, para o cientista que alavancou a área tecnológica de Pernambuco, com a criação de duas instituições de referência.

A prospeção de Meira é baseada na capacidade de faturamento e expansão das empresas do ramo. “A média das melhores empresas brasileiras é de faturar R$ 100 mil ao ano, que no fundo é pou­co se você calcular pelo número de capital humano. Quanto maior for o faturamento e  maiores forem os salários dos funcionários, maior será o processo de desenvolvimento regional com a geração de renda local”. Para Meira, apesar da falta de incentivo para a qualificação, o Estado é o maior produtor de profissionais de Tecnologia da Informação. “Hoje, o melhor lugar para se desenvolver tecnologia é aqui”, destaca.

Para o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, o incentivo ao desenvolvimen­to é fundamental. “Silvio Mei­ra ganhou o prêmio pelo con­junto de seu trabalho, mas, em especial, por ser ca­paz de perceber e apoiar o desenvolvimento tecnológico no Brasil. Se o Porto Digital tem expressão econômica, é um elemento que gera emprego e renda localmente, isso se deve ao espírito empreendedor de Silvio Meira”, completa. (Folha de PE)

Anúncios