Novo prédio de tecnologia do Recife, finalmente, abre as portas para empresas

Davi Lira // Do JC Online

Com o objetivo de reunir várias empresas da área de tecnologia em um mesmo prédio comercial, com infraestrutura adequada de comunicação, refrigeração e marketing, finalmente, após mais de oito anos de espera, por conta de corte de verbas do Governo, de busca por novos financiadores, por carência de mão-de-obra e falta de material de construção, o Centro de Negócios da Tecnologia da Informação (ITBC) abre as suas portas, nesta segunda (7), para instalação de empresas de tecnologia da informação locais.

O ITBC espera ocupação total de suas 50 salas, por empresas de tecnologia, até o final do ano Foto: Divulgação

As 50 novas salas do edifício localizado na rua Domingo José Martins, no bairro do Recife, vêm fortalecer ainda mais o promissor polo de inovação presente na cidade, um verdadeiro cluster de pesquisa, desenvolvimento e exportação de tecnologias. Elcoma, Facilit, MidiaVox, Procenge, Partec e Serttel são empresas que já adquiriram espaço no edifício.

“O prédio é aberto 24 horas todos dias, conta com três elevadores, um auditório que comporta 52 pessoas, três salas de reunião, laboratório, refrigeração split individualizada, e ainda oferecemos um serviço de cafeteria e multi-impressão gráfica”, afirma o coordenador administrativo financeiro do SoftexRecife, Manoel Borba Filho. As salas têm, em média, de 40 a 200 m², com valor de aluguel de R$ 29,50 o metro. Até o final do ano, a SoftexRecife espera a ocupação total do prédio, que tem cerca de 50 espaços.

O resultado visto hoje pela Softex é fruto da associação de empresas do setor de tecnologia sediadas na cidade. A entidade, surgida em 1993, a partir de incentivos de programas federais do Ministério da Ciência e Tecnologia, tem como principal foco a busca pela melhoria da qualidade e excelência de softwares, visando ao aumento de exportações desses produtos.

“Com o fortalecimento e união das quase 85 empresas que compõem a SoftexRecife, foi possível obter junto à Prefeitura a desapropriação do prédio objeto da instalação do ITBC. Depois, a partir de uma bem dosada articulação, conseguimos obter um financimento de R$ 6,5 milhões junto ao BNDES e ao Governo do Estado”, diz o coordenador geral executivo da Softex, Eduardo Paiva.

Desse investimento total, “R$ 4,5 milhões foram liberados pelo banco de fomento federal, e o restante pelo Governo do Estado. Sendo que R$ 1,8 milhões foi efetivamente empregado na obra, e R$ 200 mil foram para viabilizar a aquisição da garagem para comportar os locatários”, afirma Paiva.

A Elcoma, empresa pernambucana de produção de hardwares, desde computadores a componentes automotivos, foi uma das companhias que aderiram ao projeto ITBC. “A intenção de instalar um escritório no prédio é comercial. Estamos instalando lá uma unidade de pesquisa e desenvolvimento de produtos e a equipe do marketing. Com a aproximação do centro produtor e de fornecedores, não vamos precisar investir tanto em propaganda e os nossos clientes não precisarão se deslocar para nossa sede, localizada no Distrito Industrial do Curado (Zona Oeste do Recife)”, afirma o diretor presidente da empresa, Júlio Gil Freire.

CATÁLOGO – Para consultar os serviços e produtos das empresas sediadas no Porto Digital, incluindo algumas companhias do ITBC basta acessar o catálogo online GPS-E.

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s