Na era da Inclusão digital

Por Jéssica Pinheiro
jessicapinheiro@averdadepe.com

Cresce a parcela da população com acesso à internet no Brasil00_19.08.2009_Escola João Bezerra_Créd Ademar Filho (48)


O crescimento econômico do País e o aumento da renda da população talvez expliquem os números. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de acessos à internet aumentou 75,3% desde 2006. Esse dado faz parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), que traz estatística sobre internet e telefonia fixa ou móvel no País. Segundo o Pnad, 46 milhões de brasileiros já tiveram acesso à internet, o que representa 34% da população. Ainda segundo o estudo, o Nordeste é a região que possui menor acesso, com 21,5%.

O IBGE indica ainda que o número de acessos à rede tem crescido entre os menos escolarizados. Em 2005, os brasileiros que acessaram a internet com menos de quatro anos de estudos eram de 2,5%. E, em 2008, última data da pesquisa, esse número triplicou, chegando a 7,2%. Esse levantamento mostra que a web é uma realidade crescente na vida da população.

Em Pernambuco, o governo vem trabalhando para alcançar o desenvolvimento. Em 2009, o programa Professor Conectado disponibilizou 26 mil notebooks para professores da rede estadual de ensino, num investimento de R$ 60 milhões. A iniciativa visa a um processo de interatividade nas aulas e, consequentemente, atrair cada vez mais a atenção dos alunos. Hoje, 626 escolas possuem laboratórios de informática, das 1.105 no total.
Um outro programa de destaque é Um Computador por Aluno, o qual pretende que cada estudante  tenha um micro individual e assim possa trabalhar todas as possibilidades intelectuais com maior liberdade. Seis escolas no Estado serão beneficiadas, mas o Ministério da Educação (MEC) ainda não deu previsão de início. Para o programa, R$ 82 milhões devem ser investidos no País.

Ônibus itinerante democratiza acesso à rede

Com o programa Ônibus de Informática Itinerante, O Cabo de Santo Agostinho desenvolve um projeto em que leva informática básica para a comunidade carente da cidade. Em 2009, foram atendidas 470 pessoas. Em 2010, estima-se que 1,2 mil jovens, adolescentes e idosos sejam beneficiados

Responsável pelo projeto, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Cabo identifica a demanda da população e oferece por 20 dias – quatro turmas diárias e 20 horas aulas -, noções de computador e internet. A iniciativa tem por objetivo levar informação básica, e proporcionar um primeiro contato da informática a pessoas que não têm qualquer intimidade com o computador.

Para o secretário Allex Gomes, essa oportunidade é só um pequeno começo para que a população possa ir se integrando com a tecnologia. “Sabemos que esse primeiro contato é importante para muitos que nunca pegaram sequer em um mouse. As aulas servem para despertar justamente esse interesse e desenvolver uma procura por qualificação”, destaca o secretário.

Segundo Gomes, o contato com o computador é só o primeiro passo para que a população possa entrar cada vez mais no mercado de trabalho e aproveitar as oportunidades que estão surgindo. “Hoje, as vagas de emprego não pedem mais nem noções de computador ou internet, porque se subtende que já saibam. Não ter noção de internet já lhe tira qualquer oportunidade de um emprego melhor”, enfatiza.

Outro importante programa foi realizado esta semana pelo município e a empresa de telefonia Oi. Trinta e seis escolas vão ter acesso à banda larga gratuitamente até dezembro de 2025. O município ainda estuda a melhor maneira de beneficiar as escolas e até o fim do ano todas elas já devem estar com internet em alta velocidade.

A Secretaria também está investindo em qualificação de seus lojistas. Uma parceria entre a Secretaria e a Petrobras vai oferecer cursos de inclusão digital e cursos de gestão semipresenciais a lojistas da cidade. O objetivo é prepará-los para que eles atendam as exigências dos novos mercados que estão surgindo com a instalação do Complexo de Suape.

Ainda sem poder dar mais detalhes, o secretário Gomes faz questão de esclarecer o importante momento em que a região passa. “O momento é de crescimento. Não existe crescimento e desenvolvimento sem educação. Os jovens têm que estar dispostos a crescer não só como profissionais. Eles têm que despertar para a verdadeira educação e nós, como gestores, temos que dar oportunidades para que eles concretizem seus sonhos”, finaliza.

Uma cidade informatizada

Com 62 mil habitantes, segundo dados do IBGE, Escada tem hoje 90% das escolas com laboratórios de informática e acesso à internet. Todas as instituições da rede urbana já possuem laboratórios, monitores e professores especializados. Na Zona Rural, a estimativa é que até o final de 2010 todas estejam equipadas com laboratórios e internet por satélite.

É essa a avaliação que a Secretaria de Educação do município faz. Uma cidade informatizada. Para a secretária Elizabete Cavalcanti, o objetivo do governo é levar as pessoas à escola.

“O nosso principal trabalho está em estimular os alunos a irem à escola e ainda incentivar suas famílias a compartilhar mais esse conhecimento com eles”, comenta.

As escolas do município oferecem aulas de informática a alunos desde a pré-escola.  Hoje, com cerca de 12 mil alunos matriculados, o município procura oferecer um ambiente mais atrativo. Nos fins de semana, as escolas também estão abertas e oferecem noções de informática às famílias.

O projeto é uma parceria do município e o Ministério da Educação através Programa Nacional de Informática na Educação (ProInfo), que visa promover o uso pedagógico de tecnologias da informação atreladas a conteúdos educacionais das escolas. Atualmente, o município busca capacitar todos os professores da Zona Rural para que esses utilizem de forma criativa e produtiva a tecnologia com seus alunos.

Informática para moradores

Capacitar a população. É esse o objetivo do projeto encabeçado pelo Programa Suape para Todos. Criado em 2007, o projeto já formou 500 jovens em informática. No Centro de Treinamento de Suape (Cetreino), cursos básicos de computação são oferecidos para a população. Ainda este mês, as comunidades de Nazaré e Gaibu, ambos no Cabo de Santo Agostinho, serão beneficiadas.

Para 2010, estima-se que cerca de três mil jovens sejam capacitados através dos cursos nas áreas de inclusão digital, almoxarife de obras, bombeiro hidráulico, agente ambiental, entre outros. Segundo a assessoria do Porto, a intenção dos cursos está em qualificar a mão de obra dos municípios do Território Estratégico, e esses serem absorvidos pelo mercado local.

Em relação à absorção da mão de obra, a assessora do Porto de Suape, Rosana Valença destacou que essa é uma das propostas do curso. No Estaleiro Atlântico Sul, por exemplo, 92% dos funcionários são pernambucanos.

Aos sábados, idosos também tem aulas de informática. Os interessados em fazer o curso devem se cadastrar na Associação Comunitária do Cabo.

Anúncios

Um comentário em “Na era da Inclusão digital”

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s