Goiana vai deixar Brasil autossuficiente em vacinas e hemoderivados

Por Rafael Sotero // PE 360 Graus

Foto: Reprodução / AD Diper / Paula Crócia

Pernambuco foi escolhido em 2004 pelo Governo Federal para contribuir com a produção farmacêutica nacional. A cidade de Goiana, na Zona da Mata, foi indicada pelo Governo do Estado para sediar o Polo Farmacoquímico, um empreendimento em que diversas empresas do setor se voltassem para a produção de medicamentos através da utilização de novas tecnologias, buscando a integração de indústria e pesquisas acadêmicas.

O empreendimento está sendo montado em uma área de 345 hectares (foto) e tem como responsável a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD/Diper), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Os recursos de R$ 13,7 milhões serão distribuídos em obras estruturadoras, como vias de acesso, sinalização e rede coletora de esgoto. Também é da responsabilidade da AD/Diper criar políticas de atração de investidores.

Uma vez instalado, o Polo vai contribuir para que os cofres do Governo Federal economizem com a compra de remédios para o tratamento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a assessoria da AD/Diper, o Brasil importa cerca de R$ 800 milhões anuais em hemoderivados.

Por se situar às margens da BR-101, o Polo terá facilidade de acesso e de escoamento de produtos, fator relevante na atração de investidores. A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) e a Novartis, empresa suíça de vacinas, assumem o papel de empresas-âncoras.

A previsão é que a Hemobrás, já em obras, seja inaugurada em 2010 e a Novartis, uma vez instalada a unidade de vacinas, comece a produzir em 2014. Segundo estimativas, a primeira, com investimento de R$ 80 milhões, será responsável pela geração de 255 empregos diretos e mil indiretos, para dotar o país de autossuficiência na produção de hemoderivados. A Novartis, por sua vez, deve contar com investimentos de até R$ 700 milhões para fabricação de vacinas com a mais moderna tecnologia.

A instalação da Hemobrás é uma grande notícia para a sociedade. A planta industrial da empresa será a maior da América Latina, com capacidade para produzir até 500 mil litros de plasma por ano. O que se espera é que o País atinja independência em diversos derivados do sangue, favorecendo pacientes de AIDS, câncer, hemofílicos, etc. Por sua vez, a fábrica de vacinas da Novartis representará um grande salto no setor, tanto em Pernambuco como no Brasil. A instalação, a primeira da empresa em solo latino-americano, vai dotar o país de autossuficiência na produção de vacinas para doenças graves e potencialmente letais, como meningite.

INOVAÇÃO, TECNOLOGIA E UNIVERSIDADE
No quesito acadêmico, o projeto principal é o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Inovação Farmacêutica, desenvolvido pela Universidade Federal de Pernambuco, que visa destinar os frutos das descobertas para o SUS.

O início das obras de construção de vias de acesso está  previsto para março de 2010. A partir daí, será contratado um estudo socioeconômico que vai mapear a cidade de Goiana e municípios vizinhos, apontando os diversos atributos da região.

Para atrair investidores, missões empresariais e campanhas de divulgação serão realizadas. Especula-se que o potencial do Polo seja capaz de reunir de 15 a 20 fábricas no complexo.

Anúncios

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s