Viaggio poderá ser fabricado em Pernambuco

20120510-191034.jpg

Médio da Fiat lançado para o mercado chinês tem possibilidade de estrear nova fábrica
POR LUIZ ALMEIDA

Rio – Apresentado no Salão de Pequim, em abril passado, o Fiat Viaggio pode estar com passaporte carimbado para desembarcar no Brasil. Especula-se que a marca irá apresentar o modelo oficialmente durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro próximo, tendo grandes possibilidades de ser produzido na nova fábrica da Fiat em Porto Suape, em Pernambuco, a partir de 2014 — o Viaggio pode até mesmo chegar para substituir o combalido Linea.

Montado sobre a mesma plataforma do Alfa Romeo Giulietta, o Viaggio é fruto de mais uma parceria entre a Fiat e a Dodge — a americana, por sinal, batizou o modelo de Dart, nome que marcou época na década de 1970. Com 4,67 m de comprimento, 1,85 m de largura e entre-eixos com 2,70 m — a altura não foi fornecida —, o Viaggio apresentado na China tem moto turbo 1.4 T-Jet com 122 cv e 152 cv de potência máxima — opções de câmbio manual de cinco marchas e automático de seis velocidades e dupla embreagem.

É claro que se realmente for fabricado no Brasil, o Viaggio poderá até contar com o motor T-Jet — este está presente no Linea, Punto e Bravo —, mas receberá também motorização flex. Quanto ao nome de batismo do modelo, a Fiat, é claro, adotará outro em seu lugar. Afinal, Viaggio — viagem em Italiano —, será alvo de maldosas piadas.

Nordeste atrai fornecedores para indústria têxtil

20120510-172309.jpg

A importação de equipamentos pelos portos do Pecém e Suape é um dos fatores que têm aproximado a Região e fornecedores de máquinas de costura industrial tecnologias em bordados e laser.

Comerciantes cearenses visitaram o evento em Goiânia em busca de novidades no setor
As confecções da Região chamam atenção dos fornecedores pelo aumento do poder de consumo da população

Goiânia. Os fornecedores de máquinas de costura industrial, tecnologias em bordados e laser estão se aproximando das confecções do Nordeste. A marcha se intensificou nos últimos dois anos com a instalação de escritórios e centros de distribuição de empresas como Silmaq, Audaces, DMP e Lanmax, além da importação de equipamentos pelos portos do Pecém e Suape (PE).

Essas empresas estão entre as expositoras da Tecnotêxtil (Feira de Tecnologias para a Indústria Têxtil) e Seritex (Feira da Serigrafia Têxtil) – eventos que ocorrem em Goiânia desde a última terça-feira e seguem até sexta-feira, em paralelo ao Goiás Mostra Moda. Em um mercado que enfrenta alta carga tributária, as confecções do Nordeste conseguem atrair fornecedores pelo aumento do poder de consumo da população.

A Silmaq, de Blumenau (SC), abriu um centro de distribuição em Recife no ano passado. “O Nordeste tem uma participação de 30% nos negócios da Silmaq”, afirma o diretor comercial Edson José Sousa. Há dois anos, a Audaces, por sua vez, levou uma filial para Caruaru (PE) e está montando um escritório em Fortaleza que deve iniciar a operação em junho próximo.

Escritórios

Já a Lanmax inaugura escritório em Caruaru em junho deste ano. Há seis meses, a empresa passou a importar as máquinas via Suape. “É um ponto estratégico para melhorar a logística”, afirma o supervisor de vendas Francisco Barbosa Lopes. “Há uma ideia secundária de importar pelo Porto do Mucuripe”, adianta. Conforme ele, o Nordeste tem uma participação de 30% nos negócios da Lanmax.

Desde janeiro, a DMP importa máquinas de costura pelo Porto do Pecém. Conforme o diretor André Cadedo, foi a guerra fiscal que levou à decisão. A Região significa entre 18% e 20% dos negócios da marca. “Queremos ampliar a distribuição na região pelo Pecém. Enquanto as vendas globais da empresa caíram, no Nordeste cresceu”, diz.

Região “dá alento”

Segundo o superintendente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Renato Leme, o governo tem dado “alentos ao setor”. Um deles foi a substituição do recolhimento de 20% do INSS por 1% do faturamento. Outro foi o fim da guerra dos portos, que igualou a alíquota de itens importados. A indústria têxtil no País fatura US$ 63 bilhões ao ano – entre 3% a 4% do PIB brasileiro.

O Nordeste é o terceiro maior polo produtor, atrás de São Paulo e Santa Catarina. “A perspectiva é que o Nordeste dê um salto em produção com a inauguração da Petroquímica Suape”, disse Leme.

CAROL DE CASTRO
REPÓRTER
A jornalista viajou a convite da Fcem

Fábrica da Shacman em Caruaru deve produzir 200 mil ônibus e caminhões por ano

20120510-171210.jpg

A estatal chinesa Shaanxi Automobile Group (SAG) passará fabricar caminhões da marca Shacman em Pernambuco a partir de 2013, de acordo com anúncio feito hoje pelo governo do Estado. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, visitou uma das fábricas da empresa na China, quando fechou o investimento de R$ 1 bilhão, de acordo com informações do site do governo estadual.

A construção da planta deve começar ainda este ano, com previsão de duração de dez meses. A companhia prevê, inicialmente, a fabricação de dez mil veículos por ano, com expectativa de dobrar o número até 2017. A SAG produz atualmente cerca de 200 mil caminhões e ônibus por ano, que são distribuídos nos cinco continentes.

A fábrica será instalada em Caruaru, em uma área de 220 hectares já desapropriada, e fará parte de um futuro complexo industrial automotivo para fabricação de caminhões e ônibus que o governo pretende desenvolver. Os caminhões pesados e extra-pesados fabricados serão distribuídos para toda a América do Sul, de acordo com o comunicado do governo de Pernambuco.

“O grande trabalho é para que, em vez de só comprar produtos da China e gerar empregos aqui, a gente possa levar empresas chinesas para gerar empregos em Pernambuco”, disse o governador Eduardo Campos, em nota publicada no site oficial do governo.

Os chineses receberam incentivo fiscal de 95% sobre o saldo devedor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de acordo com o Programa de Desenvolvimento do Setor Automotivo do Estado de Pernambuco (Prodeauto). A SAG deve receber ainda incentivos municipais da Prefeitura de Caruaru, como a isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por dez anos.

“Eles pretendem alcançar mais de 65% de nacionalização e, para isto, devem fabricar também os motores, a transmissão e os eixos para caminhão e ônibus em Pernambuco”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, também em nota.

A marca Shacman, que já possui uma central de distribuição no Porto do Recife, é resultado de uma parceria tecnológica entre a SAG e a MAN, do grupo Volkswagen.

Estado atrai empresa de feiras de negócios

A segunda maior promotora de feiras de negócios do Brasil escolheu Pernambuco para abrir seu escritório regional. A BTS Informa desembarca por aqui num momento em que a agenda local de eventos fervilha e o Estado investe no turismo de negócios. Para o segundo semestre, a empresa já tem agendada a 10ª edição das feiras Fispal Food Service Nordeste, de produtos e serviços para alimentação fora do lar, e Fispal Tecnologia Nordeste, de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas. Sem contar a edição regional da ABF Franchising Expo e o 1º Congresso Norte/Nordeste de Gestão em Saúde.“Nossa expectativa é somar dez feiras nos próximos anos”, anuncia o gerente regional de divisão comercial da BTS, Rodrigo da Fonte. De acordo com o presidente da companhia na América Latina, Marco Basso, construção naval, petróleo e gás, varejo, logística e energia são ramos com grandes potenciais de eventos no Estado. “Nossa maior dificuldade hoje é a falta de espaços, a exemplo de centros de convenções. É o que preocupa muitos promotores. Para se ter ideia, já não há mais datas livres no Centro de Convenções de Pernambuco até 2013”, comenta da Fonte. A previsão é que somente as Fispais e a ABF Franchising Expo, que acontecerão entre 6 e 9 de novembro, atraíam 300 empresas expositoras, e mais de 30 mil visitantes. Entre os grandes nomes, estão Delgo, Gelopar, Polifrio, Granomaq, D´ mon e Edanca. Um dos diferenciais dos eventos será a possibilidade de o visitante já chegar com carta de crédito pré-aprovada, para agilizar os negócios.

 

 

A BTS também será responsável por trazer para o Estado a Hospitalmed, primeira feira de gestão e negócios hospitalares da região. O evento está marcado para agosto de 2013, no Mar Hotel, em Boa Viagem. A ideia é atrair empresas internacionais para realizar rodada de negócios e troca de conhecimentos. “Países como os EUA, Alemanha, Israel, China e Coreia do Sul têm grande potencial de marcar presença”, informou Basso.

 

 

A BTS Informa faz parte do Informa Group, com atuação em mais de 100 países na promoção de feiras e eventos dos mais variados setores. O grupo tem 150 escritórios espalhados pelo País.

JORNAL DO COMMERCIO

 

“Segmento de luxo está de olho no Nordeste”

A região Nordeste, que tem protagonizado um dos maiores crescimentos econômicos do Brasil, “é a bola da vez” para o segmento de luxo. A afirmação é do consultor Carlos Ferreirinha, especialista que esteve ontem em Natal para ministrar palestra sobre o tema, para corretores de imóveis. “As tendências de consumo têm mudado, os olhos do mercado de luxo no mundo têm crescido e o Nordeste é a bola da vez”, ressaltou ele.

Ferreirinha falou sobre as tendências de consumo
Ferreirinha falou sobre as tendências de consumo

Na palestra, o consultor pontuou que “a região é responsável pelo mais interessante e fascinante movimento de transformação do Brasil”, que é a que mais consome, por exemplo, carros de luxo e que o mercado potiguar não está fora desse contexto. “Natal e o Rio Grande do Norte foram apontados recentemente como destino número 1 de investimentos físicos do Brasil (como apartamento e casas de praia)”, disse, acrescentando que, no Nordeste, 42 milhões de pessoas migraram da classe D para a C e que a classe média também exige atenção das empresas.

“O Brasil já foi um país em que prevalecia a existência da alta elite e da população de baixa ou quase nenhuma renda – dois opostos extremos. Antes não existia o meio da pirâmide, ou seja, a classe média, mas é essa faixa de pessoas com real poder de compra que movimenta a economia”, analisou. “Temos um mercado que tem poder de compra, quer e pode consumir luxo”, complementou.

A palestra, promovida pelas incorporadoras Diagonal e Rossi, marcou a apresentação do novo empreendimento imobiliário das empresas na capital potiguar, o Class Alonso Bezerra, que será erguido em Petrópolis, de acordo com as incorporadoras e se enquadrará no segemtno de luxo. O projeto prevê a construção de 25 apartamentos, sendo um por andar, além de uma cobertura duplex.

TRIBUNA DO NORTE

Via Metropolitana Norte será solução viária para Olinda e Paulista – VÍDEO

Confira no vídeo abaixo detalhes do novo projeto de mobilidade apresentado nesta quarta-feira pelo governo do Estado – a Via Metropolitana Norte, um corredor para carros, ônibus e ciclistas, com 10,1 quilômetros de extensão, que representará uma importante solução viária para as cidades de Olinda e Paulista, no Norte da Região Metropolitana do Recife. A obra surge como uma intervenção histórica especialmente para Olinda, que sofre as consequências por ser um município de passagem e possuir um sistema viário limitado e degradado. A cidade, assim como Paulista, passará a ter um acesso direto e rápido à Zona Norte do Recife, sem precisar usar suas vias estreitas e saturadas pelo tráfego intenso.

A Via Metropolitana Norte começará na interseção da Segunda Perimetral com a Avenida Presidente Kennedy, em Olinda, passará sobre a Rodovia PE-15, seguirá pelo bairro de Jardim Fragoso até chegar à Rodovia PE-01, na altura da ponte sobre o Rio Paratibe, mais conhecida como Ponte do Janga, no limite de Olinda com a cidade de Paulista. O projeto é antigo, mas agora, pegando carona nos investimentos que vêm sendo feitos em mobilidade, o governo jura que vai tirá-lo do papel. Toda a via está orçada em R$ 400 milhões – recursos do PAC da Mobilidade – e tem prazo de execução de dois anos. A previsão é de que parte das obras comece ainda no segundo semestre e o restante no início do próximo ano.

O projeto está dividido em duas partes. A primeira é a chamada Via Metropolitana Norte e começará primeiro. Compreende seis quilômetros entre o entroncamento da PE-15, a partir do terminal integrado de ônibus, onde será construído um viaduto. A via seguirá margeando o Rio Fragoso até a PE-01, na altura da Ponte do Janga. A segunda etapa se refere à triplicação da Segunda Perimetral em seis quilômetros entre a Avenida Presidente Kennedy e a PE-15. Na prática, a Via Metropolitana Norte será o prolongamento da Segunda Perimetral, que começa em Afogados, no Recife. A futura avenida terá duas pistas marginais de cada lado do rio, com 10,5 metros de largura e três faixas cada. Uma delas será ocupada por um corredor de ônibus e em toda a extensão será implantada uma ciclovia. Para viabilizar  o corredor, será preciso urbanizar o Rio Fragoso e retirar quase duas mil famílias das áreas. A obra de requalificação do rio já foi iniciada pelos Bultrins. Três conjuntos habitacionais com 1.142 unidades também serão construídos.

PERNAMBUCO.COM