Sudene tem novo superintendente

Imagem inline 1

A presidente Dilma Rousseff nomeou um novo superintendente para a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O Diário Oficial da União (DOU) de ontem trouxe o nome do advogado e professor Luiz Gonzaga Paes Landim, do PSB do Piauí.

Antes da nomeação, ele era titular da Secretaria de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis do Piauí. Além disso, já foi secretário estadual de Meio Ambiente, deputado estadual por três mandatos, vice-prefeito de Teresina, presidente da Empresa Piauiense de Turismo e assessor especial do atual governador do Estado, Wilson Martins.

Landim substitui Paulo Sérgio Noronha, indicado pelo PMDB, ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula, que estava no comando do órgão desde fevereiro de 2008. A exoneração de Noronha também consta no DOU de ontem.

Desde fevereiro, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, comentou que faria modificações na autarquia. A troca na Sudene seguiu critérios técnicos por orientação da presidente Dilma.

O órgão já desenvolveu um papel importante no desenvolvimento do Nordeste, mas hoje não tem a mesma força.

JORNAL DO COMMERCIO

Desta vez, entrega do EAS terá festa

EVENTO Depois de finalizar o casco de uma plataforma sem qualquer solenidade, conclusão do João Cândido será comemorada

Dessa vez vai ter festa no Estaleiro Atlântico Sul (EAS). O petroleiro João Cândido será entregue à Transpetro no próximo dia 25 com pompa e circunstância. A estatal ainda está formatando o evento, mas a ideia é que ocorra uma cerimônia semelhante a realizada no Estaleiro Mauá, quando foi entregue o navio Celso Furtado, no Rio de Janeiro, em novembro do ano passado. Na ocasião, a presidente Dilma Rousseff participou da solenidade, que marcou a entrega da primeira embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef).

A presidente Dilma foi convidada para a entrega do João Cândido, mas a confirmação da agenda só deverá ocorrer às vésperas do evento. O petroleiro pernambucano será a segunda embarcação entregue à Transpetro dentro da encomenda de 49 navios fechada pela estatal com seis estaleiros brasileiros. As embarcações vão fazer a frota da empresa saltar das atuais 55 para 102 embarcações. Até agora, apenas o navio Celso Furtado foi concluído, em novembro de 2011.

A estimativa da Transpetro é que depois do João Cândido, o navio Sérgio Buarque (Estaleiro Mauá) passe para as mãos da estatal em junho e o Zumbi dos Palmares (EAS) em julho. E até o final do ano será a vez do Rômulo de Almeida (Mauá). Em função de seu porte, o João Cândido será utilizado em viagens internacionais (de longo curso). A rota da primeira viagem do petroleiro será definida pela Petrobras.

ANIVERSÁRIO

Na próxima segunda-feira, o João Cândido comemora 2 anos dentro do EAS. No dia 7 de maio de 2010 o navio batizado e lançado ao mar numa cerimônia que contou com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A expectativa era que o petroleiro deixasse o empreendimento em setembro daquele mesmo ano, mas a embarcação apresentou vários defeitos e precisou passar por reparos.

Só no dia 31 de março deste ano, o navio deixou o Atlântico Sul para fazer sua prova de mar. O petroleiro passou por testes de navegação, consumo de combustível, velocidade e tantos outros. Agora, o João Cândido passa por limpeza do casco e das acomodações, pintura e ajustes finais antes de ser passado para a Transpetro.

A embarcação será a segunda encomenda finalizada pelo EAS. Em dezembro de 2011 seguiu para o Estaleiro Rio Grande, no Rio Grande do Sul, o casco da plataforma P-55 encomendada pela Petrobras. Apesar de ter sido o primeiro produto concluído pelo estaleiro, a entrega da embarcação à Petrobras aconteceu sem festa. Isso porque coincidiu com um momento impopular para a empresa, que estava desmobilizando quase metade de sua mão de obra e enfrentando duras críticas por conta dos erros na construção do João Cândido.

No seu balanço financeiro divulgado em abril, o Atlântico Sul assegura que depois da entrega do João Cândido, os próximos navios vão sair do estaleiro com intervalos entre 3 e 4 meses. O Zumbi dos Palmares será o segundo navio entregue pelo EAS dentro do pacote de 22 embarcações compradas pela Transpetro por R$ 7 bilhões.

JORNAL DO COMMERCIO

Pernambuco vence etapa nacional da Imagine Cup

20120505-105035.jpg

Equipe Digital Mangue levou a copa do mundo da computação da Microsoft e vai para a final mundial em julho, na Austrália

Com direito a bandeira de Pernambuco e chapéu de cangaceiro, a equipe Digital Mangue subiu ao lugar mais alto do pódio da categoria projeto de software da fase nacional da Imagine Cup. O resultado da décima edição da Copa do mundo da computação da Microsoft foi divulgado na noite desta quinta (3), em Brasília, com a presença das cinco equipes finalistas. A versão deste ano teve mais de 33 mil inscrições.

O grupo é composto pelos estudantes de engenharia da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli-UPE) Iury Luã de Melo Pereira e Paulo Rafael Feodrippe, de sistemas da informação da Universidade Federal Rural de Pernambuco Edmiel Leandro Silva, além do mestrando em ciências da computação da Universidade Federal de Pernambuco Hugo Rodrigues.

O especialista em infraestrutura Francinildo Kleyson foi o mentor da equipe, que desenvolveu o projeto First Care System, na área de saúde. Eles já se preparam para a final internacional em Sydney, na Austrália, em julho. “Vamos trabalhar para buscar o sonhado e inédito troféu internacional.”

First Care System funciona como um sistema de monitoramento em tempo real, potencializando o trabalho das equipes médicas com ajuda de um dispositivo de baixo custo, o First care device. O aparelho, também criado pelos estudantes, captura e processa os sinais vitais em tempo real.

O segundo lugar ficou com o grupo paulista Virtual Dreams. Os estudantes desenvolveram o software Eureka, que atua na área de educação, proporcionando aulas mais interativas. O terceiro premiado foi o time Wonders, também paulista.

Outra equipe de pernambucana ficou entre os cinco: a Politeam. O grupo da Poli-UPE desenvolveu o DocLoc, um sistema inteligente de gerenciamento para prevenção de doenças, controle de epidemias e otimização na utilização de recursos de saúde.

Jéssica Souza
Especial para o JC

Cipp deve dobrar o PIB do Ceará em 20 anos, diz Cid

O governador anunciou a compra de um navio para transportar carros e reforçou a intenção de atrair uma montadora

O governador Cid Gomes afirmou ontem que o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) poderá dobrar o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado – aproximadamente R$ 85 bilhões – no decorrer das duas próximas décadas. “É um prognóstico, pode se concretizar ou não, e eu acredito que vai”, comentou o chefe do Executivo, após o lançamento do Pacto pelo Pecém, celebrado ontem no plenário da Assembleia Legislativa.

Durante a cerimônia em que foi apresentada a primeira etapa do Pacto – elaborado pelo Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembleia -, Cid anunciou que o Pecém deverá passar a atuar com cabotagem. A Cearáportos, complementou, irá se transformar em “Cearáportos e Cabotagem”. Conforme Cid, o governo do Estado irá adquirir um navio roll-in roll-on, que atuará no transporte de até 5 mil veículos.

Montadora

Ele também manifestou o interesse de atrair uma montadora de veículos para o Pecém. “Com isso (a montadora), a gente consolida efetivamente, a partir desse empreendimento estruturante o Complexo Industrial e Portuário do Pecém”.

Conforme o presidente da Ceará Portos, Erasmo Pitombeira, a importação de carros se dá hoje principalmente a partir dos Estados Unidos – processo que deverá ser incrementado com a expansão do Canal do Panamá. No lançamento do Pacto pelo Pecém, Cid Gomes enumerou os oito empreendimentos já instalados na região e detalhou o andamento das principais obras previstas para a área – a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), a Refinaria Premium II e a usina termelétrica Energia Pecém. O estudo apresentou, nesta etapa inicial, um diagnóstico sobre o funcionamento do Cipp.

Atração

De acordo com o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), Roberto Smith, o Estado tem promovido um “trabalho muito intenso” de atração de empreendimentos para a região do Pecém. Os atrativos a investidores na área, diz, vão além dos incentivos fiscais para as empresas, sendo “apenas coadjuvantes”.

Segundo indica, um dos principais interesses de indústrias que podem se instalar no Pecém é se beneficiar, além da posição geográfica favorável, do mercado brasileiro, diante do cenário de crise financeira por que passa a Europa. Ainda segundo Smith, o governo do Estado tem feito negociações com empresas dos Estados Unidos, Espanha, Itália, Alemanha e China.

OPINIÃO DO ESPECIALISTA
Incremento não significa amplos benefícios

Ainda é cedo para dizer que os empreendimentos anunciados irão dobrar o valor do PIB cearense. Considerando grandes projetos anunciados, creio que os impactos serão de fato muito fortes sobre o Valor do PIB do Ceará, principalmente no momento em que esses investimentos atingirem seus estágios maduros, ou seja, seus picos de produção. É preciso alertar que, apesar de impressionantes, esses impactos sobre o valor do PIB não se transformarão em benefícios amplos para a economia e sociedade cearenses, ou seja, não serão traduzidos em desenvolvimento sócio-econômico para o estado. Isto se deve ao fato de que esses impactos serão produzidos por apenas dois grandes projetos, cujas escalas de produção serão enormes para o padrão industrial local. Há que ser analisado, não somente o valor monetário desses impactos, mas a distribuição espacial, individual e social dos mesmos.
Jair do Amaral Filho
Doutor em Economia e professor da UFC

JOÃO MOURA
REPÓRTER

Takata anuncia fábrica em Pernambuco.

20120505-103704.jpg

Quarta planta da empresa no País será construída em Pernambuco

A convite da Fiat e em continuidade ao seu processo de expansão na América do Sul, a Takata anuncia que terá mais uma fábrica no Brasil, desta vez em Pernambuco, para a produção de sistemas de airbag, volantes e cintos de segurança. A planta atenderá inicialmente a nova fábrica da montadora, que está em fase de construção na cidade de Goiana. As empresas vão bater o martelo em reunião marcada para este mês, informou o vice-presidente da Takata América do Sul, Airton Evangelista, na quinta-feira, 3, durante a cerimônia de abertura oficial da planta de San Jose, região metropolitana de Montevidéu, no Uruguai.

“Por meio de um contrato de parceria com a Fiat, tivemos prioridade na escolha da montadora para fornecer esses sistemas de segurança para seus novos projetos em Pernambuco.”

O executivo não mencionou detalhes da nova planta, como valor do investimento ou capacidade produtiva, mas afirma que vai analisar qual a melhor localização nas redondezas de Goiana. Esta será a primeira unidade da Takata na região Nordeste e a quarta no Brasil: as demais estão localizadas em Jundiaí (SP), Piçarras (SC) e Mateus Leme (MG).

Além da Fiat, a Takata fornece sistemas de segurança para as principais montadoras instaladas no Brasil, como Ford, General Motors, Honda, Toyota e Volkswagen. A intenção, conta Evangelista, é aumentar a capacidade produtiva para acompanhar o crescimento da demanda das montadoras, que será impulsionado pela lei sancionada em 2009, que exige o uso obrigatório do airbag frontal (para motorista e passageiro) em veículos comercializados no Brasil, mesmo os importados, com abrangência de forma gradativa: a partir deste ano a obrigatoriedade recai sobre 30% dos veículos, no ano que vem o índice sobe para 60% e em 2014 a lei exige que 100% dos modelos saiam da fábrica com o sistema instalado.

Outros projetos também já fazem parte da carteira de pedidos da Takata: a empresa fornecerá airbags para 100% da produção do modelo Etios da Toyota, cuja fábrica está sendo erguida em Sorocaba (SP). O executivo também afirma que apesar da lei exigir apenas os airbags frontais para automóveis vendidos no Brasil, as fabricantes começam a expressar o interesse em aumentar a oferta do sistema em seus veículos para competir em igualdade com alguns importados, que chegam com airbags laterais e traseiros de série.

Para apoiar a produção local, a empresa começou a abastecer o País com as bolsas de airbag feitas em sua nova planta no Uruguai. Após um período de preparação de mostras e diversos testes de qualidade, a Takata Uruguai enviou em março deste ano o primeiro lote com 5 mil unidades para Jundiaí (SP), planta responsável pela montagem final do conjunto completo. A filial uruguaia teve abertura oficial realizada na quinta-feira, 3 (leia aqui).

Sueli Reis, AB
De Montevidéu, Uruguai

Oi prevê investimentos de R$ 288 milhões em Pernambuco este ano

de Fernando Castilho

Durante encontros com o governador Eduardo Campos, no Palácio do Campo das Princesas, pela manhã, e à tarde com o prefeito João da Costa, o presidente da Oi, Francisco Valim, anunciou que a empresa pretende investir R$ 288 milhões em Pernambuco ao longo deste ano.

O valor será aplicado na modernização de toda a rede de telefonia móvel 2G e na instalação de mais 196 sites de telefonia móvel tanto 2G quanto 3G em todo o Estado. O valor supera em mais de 50% os quase R$ 187 milhões que foram investidos pela companhia em 2011.
Atualmente, a cobertura de telefonia móvel 2G atinge 86,4% da população pernambucana, cobrindo 90 municípios do estado. Hoje a Oi tem mais de 630 sites de telefonia 2G e 3G distribuídas na capital e no interior.

Também está nos planos da companhia a abertura de cinco lojas próprias no estado até o final do ano. As três primeiras unidades serão inauguradas ainda no mês de maio: uma na expansão do Shopping Center Recife, outra na Avenida Conde da Boa Vista, e a terceira na cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, gerando mais de 80 empregos diretos.

Além de Valim, participaram dos encontros com o governador Eduardo Campos e o prefeito João da Costa, o diretor de Relações Governamentais da Oi, Carlos Ademar de Aragão, o diretor Regional de Relações Institucionais da Oi, Frederico de Siqueira Filho e o Diretor Regional de Vendas Corporativo, Magno Vilas Boas Pinto.

JC NEGÓCIOS

Pernambuco vai à China para trazer novas montadoras de veículos

O governador Eduardo Campos viaja hoje (04) para a China atrás de prospectar novos negócios para Pernambuco. Serão quatro dias de uma pesada agenda administrativa que inclui visita a fábricas, reunião com empresários e encontros oficiais em Pequim e nos estados de Hebei e Shaanxi.

Após mais 30 horas de viagem, Eduardo desembarcará na capital chinesa na tarde do domingo. Na segunda-feira ele irá conhecer a fábrica da Great Wall Motors Company, localizada na província de Hebei, a 140 km de Pequim. A Great Wall é a maior fabricante privada de veículos do país e é líder do mercado de cabine dupla e SUVs na China.

Na terça-feira, de volta à Pequim, Eduardo terá um encontro com o embaixador do Brasil na China, Clodoaldo Hugueney. No dia seguinte, já na província de Shaanxi, o governador de Pernambuco irá se reunir com empresários da região interessados em investir no Brasil. O evento está sendo organizado pelo governador da província, Zhao Zhengyong.

Na quinta-feira, último dia de agenda administrativa, Eduardo terá uma audiência com a diretoria da Shaanxi Automobile Group (SAG) na fábrica da companhia. A proposta é trazer para Pernambuco uma fábrica de caminhões da marca Shacman, que já possui uma central de distribuição no Porto do Recife. As negociações estão bastante adiantadas e podem ser concluídas durante a reunião.

JC NEGÓCIOS