Refinaria contratará mais 3 mil

24/03/2012

OUTROS TEMAS

SUAPE Profissionais das áreas de instrumentação, eletroeletrônica e controle de sistemas serão demandados nesta fase da obra

Nos próximos três meses, a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) vai contratar mais 3.000 trabalhadores para a construção e montagem do empreendimento, no Complexo de Suape. O recrutamento será feito pelas 14 grandes empreiteiras contratadas pela Petrobras para tocar a obra. Os novos operários vão se juntar a um time de 40.000 pessoas que hoje batem crachá na unidade de refino. Com as contratações, a Rnest alcançará seu pico de mão de obra (43 mil pessoas), que deverá se manter nesse patamar durante um ano.

O presidente da Rnest, Marcelino Guedes, diz que na atual fase da obra serão recrutados profissionais das áreas de instrumentação, eletroeletrônica e controle de sistemas. “Nessa etapa, provavelmente vão aumentar as contratações de pessoal de fora do Estado, porque Pernambuco não tinha tradição de montagem desse tipo de empreendimento”, observa.

Hoje, 60% dos operários são pernambucanos, mas a proporção deverá se inverter, com um aumento de migração principalmente da Bahia, de São Paulo, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais. O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e o Senai oferecem cursos técnicos nas áreas que serão demandadas pela refinaria. A dificuldade é que as contratações vão acontecer a curto prazo.

Apesar da procura por profissionais mais especializados, os pernambucanos não devem desistir, porque além das novas vagas, as empreiteiras estão sempre precisando de profissionais por conta da rotatividade. Empresas e consórcios como Conest (integrado pelas construtoras Odebrecht e OAS), Alusa, Camargo Corrêa, Ipojuca Interligações e outras costumam ter escritórios no Cabo de Santo Agostinho e em Ipojuca, onde recebem currículos quando estão precisando de mão de obra.

STATUS DA OBRA

A Refinaria Abreu e Lima é um dos maiores canteiros de obras do País. Uma média de 5 mil veículos circulam por dia no local e 80 mil refeições são servidas aos funcionários. Todos os meses, a Petrobras desembolsa R$ 800 milhões para a obra. Para efeito de comparação, o valor é suficiente para construir uma indústria do porte da Companhia Brasileira de Vidros Planos (CBVP), anunciada em Goiana com investimento de R$ 770 milhões.

Até o final deste ano, começam a entrar em operação algumas partes da refinaria, como a Estação de Tratamento de Água e a Casa de Força. No início de 2013 deverá estar concluída a Unidade de Destilação Atmosférica (UDA), responsável por transformar o petróleo em produtos derivados.

O primeiro barril de petróleo só deverá ser processado no primeiro trimestre de 2014, marcando oficialmente o começo da operação da refinaria.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL PREOCUPA

REFINARIA Desde 2009, Petrobras e UFPE discutem projeto para minimizar impactos da migração provocada pelo empreendimento, que amplia demandas por saúde e moradia

A boa notícia dos 3 mil empregos na Refinaria Abreu e Lima também é, em outra perspectiva, motivo de preocupação social. O número de 43 mil trabalhadores na obra significa trazer para a região do entorno de Suape, o equivalente a metade da população do município de Ipojuca. Desde 2009, a Petrobras e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) discutem o projeto Diálogos para o Desenvolvimento Social em Suape, mas só agora a iniciativa começa a sair do papel.

A proposta, dividida em oito ações, é minimizar os impactos negativos da migração provocada pelo empreendimento, que aumenta as demandas sociais, desde moradia, saneamento e serviços de saúde, passando por violência sexual, gravidez na adolescência e violação de direitos.

“Quando o projeto foi elaborado, em 2009, o número de trabalhadores projetado para a obra era de 20 mil pessoas. Agora esse número mais que dobrou e ainda pode crescer. O ideal era que o programa estivesse em plena operação exatamente agora, quando a obra vai entrar no seu pico de mão de obra, mas foi difícil unificar a linguagem jurídica de tantas instituições”, observa o responsável pelo projeto Diálogos no Instituto Papai, Ricardo Castro.

Nos bastidores, a informação é que uma das dificuldades do projeto foi encontrar quem financiasse a iniciativa. Na obra da Refinaria Abreu e Lima, a Petrobras é obrigada a aplicar R$ 130 milhões (0,5% do valor total do investimento, que é de R$ 26 bilhões) em ações ambientais, mas não está previsto nada para a área social. Por isso foi preciso buscar parcerias com as empreiteiras que têm contrato na obra e até com a PetroquímicaSuape (empreendimento que também pertence à Petrobras, mas tem recursos para usar na área social).

Apesar de serem as principais responsáveis pela migração de trabalhadores, alojando operários de todos os Estados do Brasil para tocar as obras, muitas das empreiteiras não se convenceram a financiar o projeto Diálogos. Não é difícil perceber o aumento das demandas sociais nos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, que recebem a influência direta do empreendimento. Alojamentos gigantes de trabalhadores se multiplicam na região e casas de veraneio e pousadas se transformaram em repúblicas de trabalhadores.

Uma das primeiras regiões a serem beneficiadas pelo projeto Diálogos será o balneário de Gaibu, no Cabo. O presidente da associação local de moradores, Crélio José da Silva, tem se queixado que a região virou uma “terra sem lei”. “Os nativos e os veranistas sumiram e para o lugar deles chegaram os forasteiros”, diz.

A previsão é que a partir deste mês comecem as ações de pesquisa e contratação de profissionais para o projeto, que tem duração de dois anos. (A.G.)

Adriana Guarda / Jornal do Commercio

About these ads

Conecte-se

Assine o nosso feed RSS e perfis sociais. (Subscribe to our RSS feed and social profiles.)

118 Comentários em “Refinaria contratará mais 3 mil”

  1. cleiton sales da silva Says:

    como faço pra colocar curriculo na odebrecht

    Resposta

  2. emerson alves da silva Says:

    Atualmente sou montador de chapas mais tenho na carteira isolador e auxiliar mecânico de elevadores experiência na p62 p58 na Gerdau na cenibra na refinaria rpbc em sp cubatao
    também traço algumas peças e sou pernambucano 96823022

    Resposta

  3. rua padre losprs cancado n255 apto 214 Says:

    costari de fazer de trabalhar istou adispocicao mende me um mail bandarei um cu riculo

    Resposta

Comente agora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 6.167 outros seguidores