Carregamento de pás eólicas chega a Natal

20120216-190653.jpg

Encontra-se no Porto de Natal o navio Thorco Highlander, de bandeira alemã, vindo de Portugal, trazendo peças para a montagem de parques eólicos no Rio Grande do Norte. Ao todo, 30 pás eólicas, totalizando 1.500 toneladas, estão sendo descarregadas desde ontem, de acordo com informações da Companhia Docas do RN (Codern), que administra o porto. O material começou a ser descarregado, mas o transporte não começou

O material foi importado pela Wobben para a implantação de parques da CPFL Renováveis no estado. A reportagem tentou colher mais informações com a empresa, mas não havia porta-voz disponível na tarde de ontem. Não foram divulgadas informações sobre o município de destino das cargas nem quando as peças começarão a sair do porto, operação que é apontada de forma recorrente como “difícil” por investidores do setor, pelo fato de o terminal estar localizado no meio da cidade.

Só em 2012, este é o segundo navio que chega ao Porto de Natal trazendo equipamentos eólicos.

A Companhia Docas do RN não informou a programação para o restante do ano, considerando que só é informada sobre a chegada dos navios com 15 dias de antecedência, de acordo com informações da assessoria de comunicação. No ano passado, 12 navios chegaram ao terminal portuário carregados com esse tipo de equipamento.

Tribuna do Norte

Atividade econômica brasileira cresceu 2,79% em 2011, indica BC

A economia brasileira cresceu 2,79% no ano passado. É o que indica o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) divulgado hoje (16).

Em dezembro, o índice registrou 141,13 pontos, com crescimento 0,57% em relação ao resultado de novembro, e registrou o terceiro mês seguido de expansão. Na comparação com dezembro de 2010, o IBC-Br teve alta de 1,71%.

Sem ajustes sazonais, os dados mostram queda do IBC-Br de 0,77% em dezembro, em relação ao mês anterior. Na comparação com o mesmo período de 2010, houve expansão de 1,47%. No ano, a alta chega a 2,72%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar e antecipar como está a evolução da atividade econômica brasileira. O índice incorpora informações sobre o nível da atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária. O acompanhamento do índice é considerado importante pelo BC para que haja maior compreensão da atividade econômica e contribui para as decisões do Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a taxa básica de juros, a Selic.

* Fonte: Agência Brasil

Transpetro abre seleção para 332 oficiais da Marinha Mercante

A Transpetro, subsidiária de logística de transporte da Petrobras, abriu nesta quinta-feira (16/02) processo seletivo para admissão imediata e formação de cadastro de reserva para 322 oficiais da Marinha Mercante. As incrições terminam no dia 16 de maio e o edital e fichas de inscrição e de embarque estão disponíveis no site da companhia (www.transpetro.com.br).

Setor com alta carência de profissionais, a Marinha Mercante tem demandado um grande número de profissionais, graças, sobretudo, ao crescimento da indústria de apoio offshore. Apenas a Transpetro irá admitir, até 2013, cerca de 1.700 marítimos. A companhia está em pleno processo de crescimento devido ao Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). O programa já encomendou 41 navios a estaleiros nacionais e outras oito embarcações estão em fase final de licitação.

Aos candidatos, os atrativos para ingressar na vida em alto-mar são muitos. A começar pela remuneração mínima de R$ 7.964,11, segundo a estatal. A Transpetro oferece ainda auxílio-creche, ensino pré-escolar, fundamental e médio, plano de saúde, participação nos lucros e resultados, seguro de vida em grupo, benefício-farmácia e plano de previdência complementar.

As vagas disponíveis no concurso são para 175 candidatos para 2º Oficial de Náutica, dos quais 152 para admissão imediata, e 147 candidatos para 2º Oficial de Máquinas, dos quais 128 para admissão imediata. Os candidatos precisam ter idade mínima de 18 anos e registro de aquaviário, de acordo com a Norma da Autoridade Marítima, NORMAN 13, entre outros requisitos, e passarão por prova de títulos e análise da experiência profissional embarcado, avaliação de conhecimentos específicos e qualificação biopsicossocial.

Evialis investe R$ 6 milhões

A multinacional francesa Evialis, especializada em nutrição animal, está investindo R$ 6 milhões para ampliar sua fábrica localizada em São Lourenço da Mata, a única no Nordeste. A expansão propiciou a geração de 50 vagas de emprego e está voltada principalmente à produção de ração destinada à aquacultura. A capacidade dessa linha dobrou de 20 mil para 40 mil toneladas.

“O cultivo de peixe está se desenvolvendo de forma rápida no Brasil inteiro, mas principalmente no Nordeste, pelas condições naturais da região”, justifica o gerente de Negócios de Aquacultura, Ricardo Mello. Segundo ele, a pisicultura vem se intensificando em reservatórios e açudes, como Sobradinho e Itaparica, em Pernambuco, Orós e Castanhão, no Ceará.

O mercado da aquacultura cresce a taxas de 20% ao ano. O aumento da renda da população brasileira nos anos recentes é vista como um grande potencial para o setor, já que surge a oportunidade das pessoas se alimentarem melhor, incluindo ou ampliando a presença do peixe no cardápio. “Nossa capacidade produtiva precisa acompanhar e suportar essa demanda crescente”, completa Ricardo.

O executivo explica que, para que a ração seja competitiva, é necessário instalar ou ampliar fábricas próximas ou ao mercado consumidor ou ao mercado produtor de matérias-primas, como grãos e proteína animal, por causa dos custos logístico e fiscal. Pensando nisso, além de dobrar a capacidade produtiva da unidade de São Lourenço da Mata, a Evialis também está inaugurando, até julho, uma nova linha para aquacultura em sua fábrica de Inhumas (GO).

A fábrica de Pernambuco funciona desde a década de 1970 em São Lourenço da Mata e possui uma capacidade total de 110 mil toneladas/ano de rações para peixes, animais domésticos (incluindo galinhas, codornas e coelhos), ruminantes e equinos. Emprega cerca de 120 pessoas, já contando os 50 contratados a partir dos novos investimentos.

A expansão da unidade se deu com a aquisição de uma nova linha de extrusora que vai complementar a produção da linha de aquacultura que funciona desde 2007. Com o reforço, a empresa acredita que poderá atender melhor os produtores nordestinos, principalmente os de Pernambuco, Bahia, Ceará e Maranhão. A expectativa é dobrar o volume de vendas nos próximos anos. “O Nordeste representa 30% do nosso faturamento”, diz Mello. Em 2011, a Evialis faturou R$ 600 milhões no país. Os produtos para aquacultura representam 20% desse total.

No Brasil, a Evialis possui fábricas localizadas em seis estados e uma subsidiária, a Zoofort, no Mato Grosso. Em duas delas funcionam estações de pesquisa conectadas ao centro científico que fica em Saint Nolff, na França. Somando todos os países onde atua (México, Espanha, Vietnam, Polônia, Indonésia, Bélgica, China e França), são 85 cientistas, técnicos e especialistas em animais.

Micheline Batista \ Diário de PE

Estados e municípios receberão recursos para área de assistência social

A partir de amanhã (17/2), 5.308 municípios e o Distrito Federal receberão recursos do Ministério do Desenvolvimento Social para o aperfeiçoamento de atividades referentes à assistência social. Apenas 104 municípios não atingiram as metas fixadas pelo governo federal. Até o final deste mês, serão transferidos R$ 8,9 milhões às autoridades locais.

Porém, os valores repassados vão variar de acordo com o chamado Índice de Gestão Descentralizada do Sistema Único de Assistência Social (IGD-Suas), que considera uma série de itens, como o número de profissionais capacitados e a qualidade da estrutura física dos locais de atendimento à população. A ideia é repassar R$ 170 milhões até dezembro.

“Nosso objetivo é que esses repasses funcionem como uma indução à melhoria da assistência social nos municípios, o que já percebemos em um ano”, disse à Agência Brasil a secretária nacional de Assistência Social do MDS, Denise Colim. “Observamos [por parte das autoridades locais] o interesse em aderir [às propostas] e aperfeiçoar o sistema, reconhecendo que qualitativamente há melhorias.”

O valor da quantia repassada mensalmente vai variar entre R$ 1,5 mil e R$ 200 mil por estado. Além do IGD-Suas, o Ministério do Desenvolvimento Social considerou também o número de habitantes. Os critérios incluídos na avaliação do IGD-Suas são o desempenho dos centros de referência social, como a quantidade de profissionais capacitados, e a qualidade da estrutura física.

Também são avaliados a aplicação dos recursos públicos já repassados para a área de assistência social e o desempenho dos centros de referência especializados – os que se destinam às vítimas de violência e crianças e aos adolescentes inseridos em programas socioeducativos. É considerado ainda o esforço de cada gestor local para a capacitação de profissionais.

A secretária nacional de Assistência Social do ministério, Denise Colim, disse que a fixação de critérios levou vários grupos sociais, como comunidades de quilombolas e mulheres, a buscar o ministério para ter acesso a mais programas desenvolvidos pelo governo federal. “São visíveis os impactos positivos no cotidianos de várias pessoas que nos procuram”, disse.

No ano passado, o governo anunciou a criação do IGD-Suas e das resoluções do Conselho Nacional de Assistência Social, como a autorização para que os estados, municípios e o Distrito Federal destinem até 60% dos recursos do Fundo Nacional de Assistência Social para o pagamento de profissionais que integram as equipes de referência do Suas.

Até 2011, o cofinanciamento repassado mensalmente aos fundos municipais só podia ser destinado ao custeio dos serviços socioassistenciais. A Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em julho do ano passado, foi alterada para permitir que parte dos recursos federais seja direcionada ao pagamento de servidores.

Portos brasileiros serão avaliados por índice de gestão ambiental

Técnicos da Gerência de Meio Ambiente (GMA) da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) apresentaram o Índice de Qualidade da Ambiental dos Portos Organizados aos dirigentes das administrações portuárias do Brasil na sede da entidade, em Brasília.

O índice irá avaliar a responsabilidade ambiental, a gestão das operações portuárias, a saúde pública, o consumo de água, a qualidade do ar e o ruído, entre outros, nos portos do País. A medição das categorias será feita semestralmente. Um teste preliminar foi feito em 29 portos no ano passado.

O diretor da Antaq, Pedro Brito, salientou que a meta é que todos os complexos atinjam a nota máxima do índice. “Nos casos em que o porto estiver fraco numa ou noutra exigência, nós enviaremos as orientações para que esses pontos fracos possam ser corrigidos”, explicou Brito.

A proposta é que ele seja um parâmetro para as decisões de negócios portuários e um padrão para a fiscalização da agência.

“Cada vez mais, a gestão ambiental está se tornando essencial aos negócios portuários. Portos como Amsterdã e Hamburgo só estão entre os mais eficientes do mundo porque também levam em conta a questão ambiental. Nós devemos fazer o mesmo no Brasil”, afirmou o diretor-geral da agência, Fernando Fialho.

Índice

O índice de qualidade ambiental da Antaq foi desenvolvido pelo Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes da Universidade de Brasília (UnB). Na avaliação realizada em 2011, Itajaí, Pecém e Imbituba foram os portos que atenderam ao maior número de exigências ambientais.

O cálculo é composto de quatro categorias de indicadores (econômico-operacional, sociológico-cultural, físico-químico e biológico-ecológico). Cada um desses indicadores globais terá um peso na avaliação: o econômico-operacional representará 59% do total; o físico-químico, 22%; o sociológico-cultural, 14%; e o biológico-ecológico, 5%.

Fonte: A Tribuna On-line

Vale lucra quase US$ 23bi em 2011

20120215-205529.jpg

A Vale registrou lucro líquido recorde em 2011, pelas regras contábeis norte-americanas (US GAAP), de US$ 22,8 bilhões, superior ao lucro de US$ 17 bilhões obtidos em 2010. Os resultados em reais ainda não foram divulgados.

No quarto trimestre o lucro líquido foi de US$ 4,672 bilhões, abaixo dos US$ 5,9 bilhões registrados no mesmo período do ano anterior.

A receita operacional da empresa foi de US$ 60,4 bilhões em 2011, contra US$ 46,5 bilhões em 2010.

Os embarques de minério de ferro e pelotas atingiram recorde histórico, com quase 300 milhões de toneladas (Mt), enquanto que as vendas de níquel e cobre tiveram o seu melhor ano desde 2008.

“Nosso desempenho financeiro foi extraordinário, o melhor de todos os tempos. Batemos vários recordes, a despeito de um ambiente econômico desafiador. A execução disciplinada de nossa estratégia e a performance das operações foram essenciais para que pudéssemos nos beneficiar da forte demanda global por minérios e metais”, disse o presidente da companhia, Murilo Ferreira, que assumiu a presidência da companhia em maio do ano passado.