Atividade industrial no Brasil avança em janeiro

A atividade industrial registrou uma melhora pela primeira vez em oito meses, segundo indicador divulgado pelo banco HSBC.

O Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Brasil chegou a 50,6 pontos em janeiro, contra 49,1 pontos observados no mês anterior, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (1º/2) pelo banco HSBC.

A atividade industrial cresceu pela primeira vez em oito meses, já que o indicador acima dos 50 pontos indica expansão.

“Apesar de modesta apenas, a melhoria nas condições operacionais foi um contraste em relação às deteriorações relatadas em cada um dos últimos sete meses”, detectou André Loes, economista-chefe do HSBC no Brasil.

O relatório aponta também que fabricantes brasileiros contrataram mais em janeiro, encerrando o período de perdas de emprego que começou em
junho passado.

A sondagem foi realizada com 400 empresas industriais no Brasil. (Brasil Econômico)

Itep firma parceria com o Ibraf e instala Escritório em São Paulo

O Instituto de Tecnologia de Pernambuco conta, desde janeiro, com um Escritório em São Paulo, por meio de uma parceria com o Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), que reúne produtores e exportadores de frutas de todo o Brasil. O objetivo é aproximar o instituto dos maiores produtores e exportadores de frutas do País por meio da apresentação de soluções tecnológicas visando à redução de embargos na exportação destes produtos para a Europa e os Estados Unidos.

A parceria vai possibilitar maior divulgação dos serviços tecnológicos especializados oferecidos pelo Itep entre os sócios do Ibraf, ampliando mercado; maior participação em feiras e eventos do segmento; melhor atendimento aos produtores em demandas específicas de ordem tecnológica. O escritório vai permitir o funcionamento de um ponto de coleta de amostras no Centro-Sul, facilitando o atendimento aos clientes do Itep naquelas regiões. O escritório fica na Rua João Adolfo, 118, 1º andar, no bairro do Anhangabaú.

Segundo a gerente do Laboratório de Agrotóxicos e Contaminantes em Alimentos e Bebidas Alcoólicas (Labtox) do Itep, Adélia Araújo, esta nova experiência será muito importante para a expansão das atividades do Itep, na análise de amostras de frutas para exportação, e na realização de pesquisas. “Nosso foco será atender problemas concretos dos produtores como as barreiras fitossanitárias”, destaca. Ela explica ainda que o trabalho está se baseando no que já vem sendo feito com sucesso no Escritório do Itep em Petrolina, garantindo apoio aos produtores. O escritório vai possibilitar ainda a realização de palestras e outros eventos voltados para a divulgação dos serviços do Itep.

O Itep dispõe de uma sala e de um colaborador, formado em Agronomia, na sede do Ibraf, para desenvolver suas primeiras atividades. A parceria foi firmada durante encontro do diretor técnico do Itep, Ivan Dornelas, e da gerente do Labtox/Itep, Adélia Araújo, com o presidente do Ibraf, Moacyr Saraiva, e do gerente da instituição, Maurício Ferraz, ocorrido no dia 16 de janeiro.

IBRAF – O Instituto Brasileiro de Frutas visa a promover o crescimento e o desenvolvimento organizado do agronegócio das frutas no Brasil, por meio da divulgação de informações técnicas e mercadológicas para todo o setor. Suas ações contribuem para a inserção de produtores, empresas e agroindústrias no mercado nacional e internacional, incentivando também meios de produção sustentáveis para contribuir com a preservação do meio ambiente e com a segurança alimentar. Oferece apoio e sustentação à base produtora e exportadora de frutas para atender demandas de ordem técnica, tecnológica, mercadológica, administrativa e econômica.

Petroquímica Suape amplia produção da unidade de fios de poliéster

Com a entrada em operação da quinta máquina de texturização da unidade de fios de poliéster, no último dia 19, a produção da PetroquímicaSuape passará das 500 toneladas por mês de fios texturizados, destinada ao mercado brasileiro. Somente essa máquina produzirá 115 toneladas/mês desse produto.

A previsão é que até o fim deste ano 20 máquinas desse processo estejam em funcionamento, elevando a produção para aproximadamente 2.300 toneladas/ mês de fios texturizados, que são usados para fabricação de artigos para moda feminina e masculina, fitas e etiquetas, artigos esportivos e decoração, tecidos para tênis, banco de carro, zíperes, entre outras aplicações.

A sexta máquina texturizadora já foi montada e é  utilizada para treinamento do pessoal dessa área. 

Petrobras levanta US$ 7 bilhões na maior captação brasileira

A Petrobras concluiu nesta quarta-feira (1/2) a captação de US$ 7 bilhões com títulos de quatro vencimentos.

A estatal petrolífera captou US$ 1,25 bilhão em bônus de três anos com taxa de 275 pontos-base acima dos títulos do Tesouro americano de mesmo vencimento; e US$ 1,75 bilhão em títulos de cinco anos com taxa de 290 pontos-base.

A Petrobras também reabriu a emissão de títulos com vencimento em 2021 e 2041. A companhia captou US$ 2,75 bilhões no vencimento de 2021 e US$ 1,25 bilhão em 2041, ambos com spread de 295 pontos-base. (Brasil Econômico)

15 franquias de olho no Nordeste

Investimento no Nordeste ultrapassa média nacional. Responsável por 6% das novas redes no país, a região oferece oportunidades de crescimento

São Paulo – Um mercado em franco crescimento, com economia aquecida, taxas de consumo em ascensão. Esse é o Nordeste, destacado por especialistas como a nova tendência de investimentos das franquias. Enquanto o setor de franchising cresceu 15% nos últimos três anos em todo o país, a região aumentou sua participação em 32%.

Como destacou o sócio da Francap, André Friedheim, 10% das franquias brasileiras estão lá e 6% delas tem origem nordestina. Segundo ele, um dos grandes incentivos ao investimento na região está na logística, melhorada nos últimos três anos. “O Banco do Nordeste e suas taxas de juros baixas, além definanciamentos facilitados para quem deseja investir na região também beneficiam o aumento do franschising”, destaca.

Entre os setores em expansão, devem estar alimentação e educação e treinamento. “Com a acessão da classe C, cresce a demanda por esses serviços”, ressalta Friedheim. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), Bahia (1722) e Pernambuco (1217) são os estados recordistas em número de franquias, seguidos do Ceará (909) e da Paraíba (805).

Embora haja uma onda positiva sobre o Nordeste, o consultor da Franchise Store Marcelo Cherto destaca fatores que podem ser prejudiciais. “A violência está aumentando e alguns custos também estão subindo, porque muitos estão percebendo as oportunidades.”

Outro cuidado necessário a quem deseja investir na região é o conhecimento sobre o local. “Mudar de cidade para se aventurar em um lugar desconhecido pode ser ruim, mas para operar uma loja, deve-se estar por perto. Então, é sempre bom ter cautela, afirma o professor do Núcleo de Varejo da ESPM Denis Santini.

Fonte: Exame.com

Nissan lança navio ecológico

Após quatro anos de construção, o navio ecológico da Nissan, nomeado de Nichio Maru, foi lançado ao mar no último 7 de janeiro. Ele tem capacidade para 1.380 carros e possui 281 painéis de energia solar, em seu deque, que garantem o armazenamento de energia. “Com os painéis, não gastamos mais combustível no uso de geradores”, explica o Presidente da coorporativa Tomohiko Uchiyama.

A embarcação é movida a motor a diesel controlado eletronicamente, o que garantirá a economia de 4,2 mil toneladas de emissão de CO2 anualmente. Outros detalhes também ajudam o navio a ser ainda mais ecológico: as luzes de LED (mais econômicas) usadas em seu interior e o casco revestido por um material que produz menos atrito na água. Para facilitar o deslocamento, existe também uma espécie de bloco de concreto instalado na proa do navio, que corta a resistência do vento em até 50% gerando uma redução de 800 a 2,5 mil toneladas de emissão de CO2.

Por enquanto, o novo Nichio Maru fará duas viagens semanais pela rota doméstica da Nissan que inclui Kanto (Oppama), Kinki (Kobe) e Kyushu (Kanda).

Com as informações – Auto Esporte

Prazo da PDVSA se encerra hoje

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, informou que vai aguardar até a meia-noite de hoje o sinal verde do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a entrada da estatal venezuelana PDVSA no capital da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, projeto que já está com 50% das obras finalizadas.

A empresa brasileira tinha determinado o prazo de 31 de janeiro para a petrolífera do país vizinho entregar garantias financeiras ao BNDES que permitissem a sua entrada como sócia da refinaria, já que a Petrobras contraiu financiamento de R$ 10 bilhões para o projeto com o banco, antecipando a parte da PDVSA.

Pelo acordo firmado entre o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em 2005, a Petrobras teria 60% do empreendimento, e a PDVSA, 40%. A refinaria está orçada em R$ 26 bilhões e vai ter capacidade para processar 200 mil barris diários de petróleo, como foco na produção de diesel, produto importado pelo Brasil.

Para assumir a sua parte, e com isso ter direito a uma participação na refinaria, a PDVSA teria que entregar as garantias financeiras ao banco até hoje.

Garantias Segundo o BNDES, o relatório sobre as garantias já foram entregues no final do ano passado à refinaria Abreu e Lima e não havia expectativa que nenhum documento adicional fosse entregue agora. Em outubro do ano passado, a PDVSA chegou a entregar garantias ao banco, que foram consideradas aceitáveis, mas que dependiam da apresentação de instrumentos que formalizarão as garantias bancárias em termos satisfatórios ao BNDES. Ou seja, não foram totalmente aceitas.

A novela da entrada da PDVSA na refinaria da Petrobras se arrasta há seis anos e sempre foi criticada pelo mercado, que viu na parceria um ato mais político do que empresarial. Para o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura Adriano Pires, o melhor negócio para a Petrobras é que a PDVSA não entregue nada e fique fora do negócio. A refinaria Abreu e Lima é a primeira a ser construída pela Petrobras desde 1980. (Jornal do Commercio)